turismo-braganca.com Bragan?a | Turismo | Viagens | Lazer | História | Cultura | Gastronomia | Trás-os-Montes | Portugal

turismo-braganca.com
Title: Bragan?a | Turismo | Viagens | Lazer | História | Cultura | Gastronomia | Trás-os-Montes | Portugal
Keywords: Bragan?a, Turismo Bragan?a, regi?o, o que ver, negócios, Trás-os-Montes, nordeste transmontano, Domus Municipalis, castelo, Museus, Abade de Ba?al, Parque Natural de Montesinho, Franchising, Turismo-...
Description: Bragan?a, Turismo Bragan?a, viagens, lazer, história, cultura, gastronomia, tras os montes, nordeste, transmontano, turismo do nordeste, turismo rural, douro, culinária, comida portuguesa, receitas culinarias,turismo de Bragan?a, o que ver, agenda, eventos, divers?o, aventura, onde comer, restauran...
turismo-braganca.com is ranked 6944434 in the world (amongst the 40 million domains). A low-numbered rank means that this website gets lots of visitors. This site is relatively popular among users in the united states. It gets 50% of its traffic from the united states .This site is estimated to be worth $2,602. This site has a low Pagerank(0/10). It has 1 backlinks. turismo-braganca.com has 43% seo score.

turismo-braganca.com Information

Website / Domain: turismo-braganca.com
Website IP Address: 185.32.188.182
Domain DNS Server: ns3.ptservidor.net,ns2.ptservidor.net,ns1.ptservidor.net

turismo-braganca.com Rank

Alexa Rank: 6944434
Google Page Rank: 0/10 (Google Pagerank Has Been Closed)

turismo-braganca.com Traffic & Earnings

Purchase/Sale Value: $2,602
Daily Revenue: $7
Monthly Revenue $213
Yearly Revenue: $2,602
Daily Unique Visitors 656
Monthly Unique Visitors: 19,680
Yearly Unique Visitors: 239,440

turismo-braganca.com WebSite Httpheader

StatusCode 200
Content-Type text/html; charset=UTF-8
Date Thu, 28 Jul 2016 14:30:15 GMT
Server Apache

turismo-braganca.com Keywords accounting

Keyword Count Percentage
Bragan?a 163 1.08%
Turismo Bragan?a 0 0.00%
regi?o 34 0.17%
o que ver 3 0.02%
negócios 2 0.01%
Trás-os-Montes 7 0.08%
nordeste transmontano 8 0.14%
Domus Municipalis 4 0.06%
castelo 35 0.20%
Museus 3 0.01%
Abade de Ba?al 2 0.02%
Parque Natural de Montesinho 14 0.32%
Franchising 0 0.00%
Turismo-... 0 0.00%

turismo-braganca.com Traffic Sources Chart

turismo-braganca.com Similar Website

Domain Site Title

turismo-braganca.com Alexa Rank History Chart

turismo-braganca.com aleax

turismo-braganca.com Html To Plain Text

Bragan?a | Turismo | Viagens | Lazer | História | Cultura | Gastronomia | Trás-os-Montes | Portugal Toggle navigation TURISMO-BRAGAN?A Home Regi?o Descubra O Que Ver Blog Contactos Regi?o “ Concelhos do distrito de Bragan?a mais... Descubra “ é costume dizer-se, por estas terras transmontanas, que se o visitante ficar mais de três dias, deixa de ser turista e já n?o quer voltar de onde veio!!! mais... Cidade “ Procuram o romance? Um encontro com a cultura? Viver aventuras? Recuperar a tranquilidade? mais... O Que Ver “ Em Bragan?a, qualquer cidad?o presta bom servi?o de guia turístico e informativo! mais... Fotogaleria “ Para os aficionados pela fotografia. mais... Regi?o TRáS-OS-MONTES a que o poeta Miguel Torga chamou “Reino Maravilhoso”. No Nordeste de Portugal, em Trás-os-Montes, situa-se o distrito de Bragan?a. Dividido em duas zonas, a Terra Fria com planaltos e serras, vales profundos e estreitos, de clima rude e onde se produz, centeio, batata e castanha; e a Terra Quente com micro clima mediterranico, onde se cultiva a oliveira, a amendoeira, a figueira, a vinha e o sobreiro. Liga-se a Norte com a Galiza e a Nascente com Castela e Le?o, provincias de Espanha. A Sul, atravessando o Rio Douro, encontramos os distritos da Guarda e de Viseu. A Poente confina com o Distrito de Vila Real. As gentes desta terra apresentam semblantes rudes e agrestes, reflectindo a dureza do trabalho e do clima do Nordeste Transmontano, mas muito afáveis, generosas, sinceras e de cora??o aberto para quem chega. Descubra uma cultura secular e peculiar cujas raízes se perdem na Antiguidade Pag?: festividades tradicionais e romarias animadas pela música da gaita-de-foles e movimentadas pelas dan?as guerreiras dos pauliteiros; a língua mirandesa, idioma secular; a arte popular autêntica, o artesanato de madeira, de barro de ferro, as pe?as de l?, linho e seda e os instrumentos musicais. Visitar o Parque Natural de Montesinho, o Parque do Douro Internacional ou o Parque Natureza do Azibo, é descobrir o deslumbramento de verdadeiras relíquias paisagísticas, de cores surpreendentes, a perder de vista, o contacto com espécies faunísticas raras. Subindo um monte ou uma serra, comungue com a m?e natureza, a calma e paz de espírito e respire o ar puro e perfumado pela riqueza da variada flora transmontana. Disfrute de um ambiente saudável e paisagens maravilhosas, goze o sol e a água de praias fluviais, descubra vestígios de presen?as antigas – Celtas e Romanos. Na arquitectura poderá apreciar estilos como o Romanico, o Gótico e até mesmo o Manuelino. Também poderá admirar o estilo da casa rural transmontana, da qual o arquitecto foi a própria natureza. Visitar esta regi?o é uma grande paix?o! Alfandega da Fé Quinta Figueira de Monte Torre do Relógio Cereja Publicidade Alfandega da Fé Vila do distrito de Bragan?a, e da diocese de Bragan?a-Miranda. Coincide a norte com Macedo de Cavaleiros, a leste com Mogadouro, a sul com Torre de Moncorvo e a oeste com Vila Flor. Dista 71km, cerca de 01h00 de Bragan?a, capital de distrito. O seu nome é de origem árabe que deve ter adquirido entre os séculos VIII e IX, mas há muitos vestígios arqueológicos desse e até de períodos anteriores dispersos pelo concelho que atestam a existência de algum povoado de origem Castreja. Recebeu carta de foral de D. Dinis, datada a 8 de Maio de 1294, o qual viria a ser confirmado por D. Manuel, em 1510. A 29 de junho, dia de S.Pedro, comemora-se o Feriado Municipal. Alfandega da Fé mostra um pouco da essência de Trás-os-Montes em termos geográficos e paisagísticos: as serras, como a de Bornes, os pequenos planaltos de altitude, como o de castro Vicente, os vales cavados e profundos de alguns cursos de água, como o do rio Sabor e as zonas de vale aberto, como a Vilari?a. Personalidades do concelho, entre outros: o Engenheiro Camilo de Mendon?a (1921-1984), natural de Vilarelhos. Foi deputado e realizou uma obra memorável no concelho e no distrito: criador e impulsionador do Complexo Agro Industrial do Cach?o para revolucionar a agricultura tradicional do Nordeste Transmontano, da Cooperativa Agrícola, das Barragens de regadio e do Plano em Alfandega da Fé. Por seu lado, o Chefe Marco Gomes, é um dos nomes de referência da gastronomia nacional da atualidade. Descubra Alfandega da Fé Com uma profunda liga??o à agricultura, persistem ainda muitas tradi??es antigas e formas de auto produ??o bem patentes nas ruínas dos moinhos e dos pis?es do linho, nos fornos de telha e de cal, na arte das tecedeiras e das bordadeiras, dos cesteiros, dos latoeiros, dos ferreiros, dos albardeiros, dos sapateiros e dos alfaiates. A cultura do bicho da seda e a do linho, com assinalável express?o neste concelho, desapareceram e a sua preserva??o faz parte do património cultural local e regional. Terra de tradi??es e lendas, como a dos Cavaleiros das Esporas Douradas e de Frei Jo?o Hortel?o, ainda se ouvem os cantares de Reis e se festeja o Entrudo, momentos que mobilizam muitas freguesias: ● O Entrudo em Vilarch?o tem ainda a particularidade da realiza??o da ''arreata dos burros'', uma manifesta??o de origens desconhecidas e que consiste na concentra??o, logo cedo, e posterior largada de todos os animais pelas ruas das aldeias, participando nesta organiza??o apenas os rapazes; ● A tradicional matan?a do porco e a prepara??o dos seus enchidos ainda se mantém; ● A gastronomia conserva igualmente o sabor de tempos antigos, nomeadamente nas sopas da matan?a e da segada, nas casulas secas com butelo, nos folares da Páscoa e também na do?aria, já provou os rochedos e os barquinhos ou o vinho generoso de Vilarelhos? Pontos de interesse no concelho:● Museu ao ar livre de Alfandega da Fé: Conjunto de esculturas e painéis ceramicos de arte contemporanea distribuídos por vários espa?os públicos da vila; ● Casa da Cultura Mestre José Rodrigues: Espa?o cultural com, auditório e galeria de exposi??es; ● Igreja matriz de Alfandega da Fé; ● Casa Grande: um dos edifícios mais emblemáticos de Alfandega da Fé que alberga, atualmente os Pa?os do Concelho; ● Capela de S. Sebasti?o: Antiga Ermida construída no princípio do século XVI; ● Capela da Misericórdia: A Misericórdia de Alfandega da Fé foi criada no final do século XV, e a sua capela é apontada como sendo a primeira Igreja Matriz; ● Torre do Relógio: Localizada na zona conhecida por Castelo, parece ser o que resta do antigo castelo medieval, sendo o ex-líbris da vila; ● Igreja Matriz de Sambade; ● Solar do Morgado de Vilarelhos, construído no século XVII; ● Igreja Matriz de Soeima; ● Santuário de S. Bernardino de Sena em Gebelim, construído no século XVIII; ● Igreja Matriz de Vilarch?o, construída no século XVII em estilo barroco; ● Fonte Limpa de Vilarch?o, uma fonte de mergulho única no concelho; ● Palacete do Visconde de Vale Pereiro; Ambientes Paisagísticos e Miradouros● Miradouro do Castelo e Quebra Costas em Alfandega da Fé: a oferecer belas vistas panoramicas sobre o concelho; ● Miradouro de Nossa Senhora do Socorro: Deste miradouro poderá obter excelentes vistas panoramicas sobre toda a área circundante e sobre a aldeia dos Vilares da Vilari?a, com o seu casario em escadaria, casas brasonadas e até um pelourinho; ● Miradouros da Loca e do Calvário em Cerejais: Miradouros a oferecer belas vistas panoramicas sobre a regi?o circundante. Visite também o Santuário do Imaculado Cora??o de Maria, classificado como de Valor Histórico Arqueológico; ● Alto da Serra de Bornes e Miradouro de Nossa Senhora das Neves: Oferece explêndida paisagem sobre o Vale da Vilari?a, Vila Flor e Mirandela; ● Parque de Usos Múltiplos: espa?o inserido na natureza e o Parque de Campismo; ● Santuário de Santo Ant?o da Barca; ● Cabe?o de Nossa Senhora dos Anúncios e necrópole romana; ● Barragem do Salgueiro Vilarelhos: destinada à irriga??o dos terrenos próximos e local aprazível nos dias quentes de Ver?o; ● Barragem da Estevaínha: utilizada para regadío e palco de pesca desportiva; No concelho existem parques de merendas e para autocaravanas. Fauna e Flora No ambito da flora local temos: castanheiros, sobreiros, pinheiros, oliveiras, amendoais, cerejais, laranjais e a vinha, para além de algum cereal, nomeadamente o centeio, que se chegou a cultivar a cerca de mil metros de altitude. Aqui há um aproveitamento ordenado dos recursos cinegéticos, uma das grandes riquezas desta regi?o. pratica-se a pesca desportiva do achig?, na barragem do Salgueiro e na barragem da Estevaínha. O Vale da Vilari?a, um dos mais férteis de Portugal tem características próprias da terra e um microclima muito peculiar, pelo que este concelho produz e comercializa fruta, azeite e vinho de qualidade de excelência. Eventos, Tradi??es, Feiras, Festas e Romarias Feira Mensal: A feira é uma atividade de origem medieval que aqui se realiza quinzenalmente. A Carta de Feira de 1395, passada pelo rei D. Dinis, esteve nitidamente ligada ao processo de repovoamento desta regi?o do Nordeste levada a cabo por aquele monarca, associando-se assim ao próprio Foral da Vila, de 1294. O recinto da Feira, está também preparado para a realiza??o de iniciativas culturais e desportivas, sendo palco, por exemplo da Feira da Cereja: ● Alfandega da Fé: dias 17 e 30 de cada mês; Feira Anual: ● Realiza-se em dia variável, na primeira quinzena do mês de Junho, integrada na Festa da Cereja. Certame de características turísticas realizado pelo Município, em colabora??o com a Cooperativa Agrícola local, que tem na cultura da cereja a sua mais importante produ??o. Outros eventos e atividades:● Amendoeiras em Flor; ● Desporto: Futebol, Hóquei em Campo, futsal, desportos radicais, TT, parapente; ● Concertos da banda Filarmónica de Alfandega da Fé; ● Atividades das Associa??es Culturais, Recreativas e Desportivas do concelho; ● Rota da Castanha: passeio paisagístico; ● Gastronomia: Naco de vitela, peda?o de bacalhau, cabrito com azeite da terra, Butelo com casulas, sopas da segada, queijo de ovelha e cereja como fruto ou para confecionar compotas, doces ou licores. Festas e Romarias: De uma forma geral, as Festas locais realizam se nos meses de Julho, Agosto e Setembro e possuem características comuns: Prociss?o com vários andores, do/a padroeiro/a e de outros santos, devidamente ornamentados, acompanhada de uma banda filarmónica e Arraial, com concerto de banda, atua??o de grupos musicais e o tradicional fogo de artifício. Festas e romarias mais relevantes: ● Alfandega da Fé: Festa em honra do Mártir S. Sebasti?o, no segundo fim de semana de Agosto; ● Sambade: Festa em honra de Nossa Senhora das Neves, no terceiro fim de semana de Agosto e com a particularidade de ter o dia mais importante ao Domingo; ● Parada: Festas em honra de Santo Ant?o da Barca, no primeiro fim-de semana de Setembro; ● Vilarelhos: Festa em honra de Nossa Senhora dos Anúncios, no último fim-de-semana de Agosto; ● Vilarch?o: Festa em honra de S. Sebasti?o, em Agosto, sem data fixa; ● Valverde: Festa em honra de S. Bernardino, em Agosto, na semana seguinte à festa da vila; Destas Festas, apenas as de Alfandega da Fé e Vilarch?o se realizam dentro das localidades, sendo as restantes efetuadas nos respetivos ''Santuários'', com especial destaque para os de Santo Ant?o da Barca e de Nossa Senhora dos Anúncios. Info Alfandega da Fé Pub Torre do Relógio Camara Municipal de Alfandega da Fé Casa da Cultura Hotel & SPA Bragan?a Carrazeda de Ansi?es Doces da Puri Castelo Anta de Zedes Publicidade Carrazeda de Ansi?es Vila do distrito de Bragan?a, e da diocese de Bragan?a-Miranda. Coincide a norte com Mur?a e Mirandela, a nordeste com Vila Flor, a leste com Torre de Moncorvo, a sul com Vila Nova de Foz C?a, a sudoeste com S?o Jo?o da Pesqueira, e a oeste com Alijó. Dista 96km, cerca de 01h30 de Bragan?a, capital de distrito. Situadada entre os rios Douro e Tua, no extremo sul do distrito de Bragan?a, Carrazeda de Ansi?es é considerada terra de contrastes bem marcados na paisagem, nas atividades e formas de viver das suas fentes, bem como no imaginário coletivo. A carta de foral à vila de Ansi?es remonta ao século XI, outorgado pelo rei leonês Fernando Magno , fixando as suas fronteiras, portanto, é um foral anterior à nacionalidade e o primeiro a ser atribuído a terras que atualmente pertencem a Portugal. A raíz do nome resulta da transferência de poder de Ansi?es para Carrazeda, em 1734, no século XVIII, e assim, desde ent?o, se preserva a história do concelho. Há vestígios pré-históricos de diversas ocupa??es, ao longo de vários séculos, tais como antas ou dólmenes, pinturas rupestres ou fragas de ferraduras, do período Neolítico, bem como outras marcas da passagem dos romanos como elementos arquitectónicos e de estilo de constru??o ou vestígios de tro?os de vias romanas. Carrazeda de Ansi?es celebra o seu feriado municipal a 31 de Agosto. Descubra carrazeda de Ansi?es: Caracterizado também pela diversidade da paisagem e agrícola, Carrazeda de Ansi?es apresenta um vasto património natural e arquitectónico, emblemático da presen?a do homem ao longo de séculos: ● O Museu da Memória Rural: Uma estrutura museológica dedicada ao Património Imaterial, em Vilarinho da Castanheira; ● CICA: Centro Interpretativo do Castelo de Ansi?es e de encontro com a História do concelho de Carrazeda de Ansi?es; ● O Castelo de Ansi?es, do séc. XII, monumento emblemático da regi?o transmontana classificado como Monumento Nacional desde 1910; ● Pelourinho do século XVII, Igreja do século XVIII e o Solar de Sampaio, do século XVIII, em Linhares; ● Ponte medieval das Olgas, em Pereiros; ● Fraga pintada do Cach?o da Rapa, da era megalítica, popularmente conhecida por ''Curral das Letras'', no Zimbro, freguesia de Ribalonga; ● Anta pré-histórica da Pala da Moura, em Vilarinho da Castanheira, Monumento Nacional; ● Anta pré-histórica da Casa da Moura em Zedes; ● Pelourinho do século XVIII, Fonte das Sereias e a Antiga Casa da Camara, do século XVIII, em Carrazeda de Ansi?es; ● Ruínas da Igreja de S?o Salvador de Ansi?es, do século XIII, Pelourinho de Ansi?es, do séc. XIV e Igreja Paroquial de Santa Eufemia, do séc. XVII, em Lavandeira; ● Termas de S. Louren?o; ● Artesanato: tanoaria, cestaria de castanho, escultura em madeira para arte sacra; ● Casa de Tralhariz e a Capela do Bom Jesus: Dois edifícios do século XVIII. A capela tem interessantes pinturas murais barrocas. Ambientes Paisagísticos e Miradouros● O ponto mais alto é o Pinoco, em Fontelonga. é assim conhecido devido ao enorme marco geodésico clocado no seu ponto mais alto. A paisagem, simplesmente, é deslumbrante. ● Barragem de Fontelonga e seu espelho de água; A flora deste concelho compreende vegeta??o natural nas encostas do rio Douro e nos bosques e florestas de zimbros, salgueiros, amieiros, carvalhos e freixos, bem como existem roseiras, madresilvas, orquídeas, narcisos, etc. Miranda do Douro e as localidades das arribas do Douro, disfrutam de uma riqueza natural sem igual, acolhendo um dos últimos refúgios e local de nidifica??o de várias espécies de aves de rapina amea?adas e outras em vias de extin??o como a cegonha negra, a águia real, o grifo ou o abutre do Egipto. O Planalto mirandês é reconhecido pela sua biodiversidade. Aqui podemos também encontrar lebre, coelho, perdiz, raposa, javali, o gato-bravo ou o lobo ibérico. Pelos céus, podemos observar o voo de águias, grifos, gralhas e cegonhas. Por entre rios, ribeiros e riachos também se encontra uma grande diversidade piscícola, designadamente: barbo, boga, perca-sol, lúcio, tenca, escalo, achig? e carpa. A ca?a e a pesca desportiva s?o atividades chamam à regi?o muitos aficionados, nacionais e estrangeiros, que aproveitam as condi??es do turismo de lazer. Este concelho preserva algumas Ra?as autóctones: ● Ra?a Bovina Mirandesa; ● Ra?a Churra Galega Mirandesa; ● Ra?a Asinina Mirandesa; ● C?o de Gado Transmontano. Eventos, Tradi??es, Feiras, Festas e Romarias ● Feiras Mensais: ● Dia 1 de cada mês em Miranda do Douro, Comércio geral; ● Dia 8 de cada mês em Malhadas, comércio geral, gado bovino, ovino e cavalar; ● Dia 12 de cada mês em Sendim, comércio geral; ● Dia 15 de cada mês em Duas-Igrejas, comércio geral, gado bovino, ovino e cavalar; ● Dia 22 de cada mês no Nazo, comércio geral, gado bovino, ovino e cavalar; ● Dia 27 de cada mês em Pala?oulo, comércio geral, gado bovino, ovino e cavalar. ● Feiras Anuais: ● 1.a segunda-feira da Quaresma em Miranda do Douro, comércio geral, gado molar, cavalar e asinino; ● último Domingo de Abril – Feira Internacional de Nossa Senhora da Luz, em Constantim, comércio geral; ● Dia 24 de Junho – Feira de exposi??o do gado bovino de ra?a Mirandesa em Miranda do Douro; ● Dia 6/7 Setembro no Naso – Feira Franca, gado bovino, ovino e cavalar; ● Dia 5 de Outubro em Duas-Igrejas – comércio geral, gado molar, cavalar e asinino; ● Dia 30 de Outubro em Sendim, Feira franca, gado molar, cavalar e asinino; Outras atividades e eventos interessantes: ● Romaria e Festa no Santuário de Nossa Senhora do Nazo, padroeira dos Mirandeses, em 08 de Setembro, na Póvoa - Miranda do Douro. Conhe?a a história e a lenda; Festival Itinerante de Cultura Tradicional L Burro i L Gueiteiro; ● Mirandês For kids (by Eimilho Pica); ● Famidouro em Miranda do Douro. Feira de Artesanato e multi-atividades; ● Visitas ao Património mundial da riqueza ambiental do Parque Natural do Douro Internacional e a riqueza arqueológica do Vale do C?a; ● Fogueira do Galo, dia 24 de Dezembro, em Miranda do Douro; ● Festa de S. Jo?o Evangelhista ou Festa dos Mo?os (de 27 a 30 de Dezembro); ● Tradicional Matan?a do Porco; ● Festa do Velho e do menino em Vila Ch? da Braciosa, dia 1 de Janeiro; ● Bamos a Cantar Ls Reis, durante o mês de Janeiro; ● Festa da Bola Doce e Produtos da Terra, em Abril. Info Miranda do Douro Pub Museu Terras de Miranda Pauliteiras Passeios de Barco Passeios no Douro Mirandela Essência do Douro Jet-Ski Alheiras Publicidade Mirandela O concelho da Princesa do Tua ou Cidade Jardim, como é conhecida, coincide a norte com Vinhais, a leste com Macedo de Cavaleiros, a sul com Vila Flor e Carrazeda de Ansi?es e a oeste com Mur?a e Valpa?os. Dista 60 km, cerca de 00h50 de Bragan?a, capital de distrito. Após a breve carta de foral concedido, em 1250, por D. Afonso III, a cidade de Mirandela recebeu 07 de mar?o de 1291, D. Dinis, novo Foral, dependendo do modelo militar de que havia sido concedido à cidade Bragan?a ao século XI. Durante os séculos XII e XIV Mirandela recebeu aten??o, privilégios e concess?es dos reis portugueses. O nome de Mirandela, segundo se crê, advém de Miranda, acrescido do diminuitivo ela, nome sugerido pelo Rei D. Dinis para a antiga Villa de Mirandella, com analogia com Miranda do Douro que está sobranceira ao rio Douro e Mirandela ao rio Tua. A história de Mirandela surge também intimamente ligada à da família Távora, cujo Pa?o, edificado no século XVII, é ainda hoje, o principal edifício com valor histórico, arquitetónico e emblemático da cidade, e onde funciona a Camara Municipal. Já desde o tempo dos Romanos que Mirandela é ponto convergência de liga??es terrestres entre Vila Real e Bragan?a, onde circulavam pessoas e bens. Há, também, por seu lado, uma liga??o à comunidade judaica portuguesa, através das famosas alheiras, desde o século XV. Localizada no vale do rio Tua, numa zona aplanada de solos muito férteis onde se cultivam maioritariamente oliveiras, tem à sua volta muitos montes que ajudam a criar um microclima e daí a designa??o de Terra Quente Transmontana. O feriado municipal é a 25 de Maio, celebrando a carta foral de Mirandela dada pelo rei D. Afonso III, em 1250. Figuras ilústres de Mirandela, entre outros: Joaquim Trigo de Negreiros, jurista e político e Luciano Cordeiro, escritor, historiador, político e geógrafo, Dr. José Gama, político. Descubra Mirandela Quem Mirandela mirou, em Mirandela ficou! Deslumbre-se com os seus encantos! O concelho de Mirandela faz parte da área geográfica de alguns produtos com Denomina??o de Origem protegida (DOP) ou Indica??o Geográfica protegida (IGP) com a alheira de Mirandela (uma das 7 maravilhas gastronómicas de Portugal) e Vinhais, o Butelo de Vinhais, Carne de porco Bísaro transmontano, Queijo Terrincho e Queijo de Cabra Transmontano. Para visitar e ver neste concelho: ● Palácio dos Távoras, atualmente edifício dos Pa?os do Concelho; ● Pelourinhos de Abreiro, frechas, lamas de orelh?o, Mirandela e Torre de Dona Chama; ● Igreja da Misericórdia; ● Palácio dos Condes de Vinhais; ● Espelho de água sobre o rio Tua; ● Ponte velha sobre o rio Tua (monumento nacional); ● Ponte Romana de S?o Sebasti?o, Mirandela; ● Portas de Santo António; ● Abrigos rupestres do regato das Bou?as; ● Castro de S?o Brás em Torre de Dona Chama; ● Ponte da Pedra, sobre o rio Tuela - Torre de D. Chama (monumento nacional); ● Castro de S?o Juzenda - Vale Prados, Múrias; ● Igreja de S?o Tomé - Abambres; ● Igreja barroca de Avantos; ● Igreja Paroquial de Guide - Guide, Torre de D. Chama; ● Fraga do Corvo, gravuras rupestres - Avidagos; ● Castelo do Rei de Orelh?o - Lamas de Orelh?o; ● Anta de Caravelas, Mamoa da Madorra e Mamoa do Malhado, Caravelas; ● Restaurante e Museu Maria Rita - Romeu; ● Museu das curiosidades e a aldeia do Romeu; ● Santuário de Nossa Senhora de Jerusalém, no Romeu: exemplar de arquitectura neoclássica, que reúne no seu interior obras de grande valor histórico e artístico; ● Património Religioso; ● Museu Etnográfico de Su??es; ● Lagares e engenhos de água; ● Latoaria em Torre de Dona Chama, Foles para a lareira, em Vale Maior e tecelagem, mantas de l? de Lamas de Orelh?o; ● Comboio Turístico que percorre a cidade; ● Metropolitano – Linha do Tua; ● Praias fluviais: Maravilha, Vale de Juncal, Parque Dr. José Gama; ● Ribeira de Carvalhais. Ambientes Paisagísticos e Miradouros● Serra de Santa Comba; ● Alto do Colado (freguesia do Franco); ● Alto de Orelh?o (freguesia de Lamas de orelh?o); ● Fraga da Conta e o Buraco da Pala, identificado como caso de metalurgia primitiva de ouro entre 2800-2500 A.C. (freguesia dos Passos); ● Miradouro de Nossa Senhora do Amparo, em Mirandela: Deste miradouro avista-se o vale do Tua e a cidade de Mirandela; ● Miradouro de S. Brás em Torre de Dona Chama: Miradouro com vistas para a paisagem de montanha transmontana e para a vila de Torre de Dona Chama; ● Parque de campismo e caravanismo da Maravilha; ● Parque Dr. José Gama/zona verde; No concelho existem parques de merendas e para autocaravanas. ● Trilhos: Vale de Lobo, do Tua e Entre os Rios; Fauna e Flora Em termos de flora podemos encontrar bosques e florestas de amieiro, choupo, carvalho, pinheiros, salgueiro, ulmeiro, eucalipto, freixo, carrasco, sobreiro, árvores de fruto como cerejeira, pereira, macieira, pessegueiro, marmeleiro, medronheiro, amendoeira, amoreira, figueira, castanheiro, olivais e aromáticas: melissa, macela/camomila, rosmaninho, hiperic?o, alecrim, funcho ou erva-doce, erva-cidreira, amora silvestre, sabugueiro, flora dos baldios (urze, carqueja, giesta, tojo, flor de esteva), nas bermas dos caminhos (fiolho, malva, xinchais), tomilho, hortel?, poejo, espargo-bravo, sardoal, azevinho, dente-de-le?o, trevo-branco, cogumelos, Em termos de fauna, aqui também se pratica pesca desportiva. Das espécies que se podem encontrar nos rios temos: enguia, barbo, boga, panjorca, truta, escalo, pimp?o, perca, achig?, carpa, bordalo. Outras espécies da fauna concelhia s?o: coelho bravo, lebre, raposa, javali, lobo, cor?o, andorinha, gaio, pica-pau, águia-real, gavi?o, pican?o-real, cegonha, gralha, pintassilgo, chapim, melro-preto, pombo, codorniz, milhafre, rola, cotovia, mocho de orelhas, coruja, tentilh?o, corvo, papa-figos, tordo, cuco, pardal, estorninho, perdiz, trigueir?o, verdilh?o. Eventos, Tradi??es, Feiras, Festas e Romarias Feiras do concelho: ● Mirandela: Todas as Quintas-Feiras, dia 25 de Julho (S?o Tiago) e dia 23 de Dezembro; ● Torre de Dona Chama: Dias 5 e 17 de cada mês, e dia 5 de Novembro (Feira dos Santos); ● Bou?a: 3.o Domingo de cada mês; ● Avidagos: último Domingo de cada mês; ● Franco: Dias 10 e 21 de cada mês; ● Outras atividades e eventos: ● Romaria de Nossa Senhora do Amparo, entre 25 de julho e o 1.o domingo de agosto, em Mirandela; ● Noite dos Bombos; ● Campeonato Nacional e Europeu de Jet-Sky e Aquabike, em Julho; ● Concentra??o Motard Motoclube de Mirandela. Info Mirandela Pub Folclore Espelho de água Rio Tua Jet-Sky Mogadouro A.C.I.S.Mogadouro Carochinha Apicultura Biológica Castelo Publicidade Mogadouro Vila do distrito de Bragan?a e da diocese de Bragan?a-Miranda. Coincide a norte com macedo de Cavaleiros e Vimioso, a nordeste com Miranda do Douro, a sueste com Espanha, a sul com Freixo de Espada à Cinta e com Torre de Moncorvo e a oeste com Alfandega da Fé. Dista 79km, cerca de 01h15 de Bragan?a, capital de distrito. Recebeu foral de D. Afonso III em 27 de Dezembro de 1272. Situa-se no Planalto Mirandês junto da Serra de Mogadouro e entre os vales dos rios Angueira, Sabor e Douro. Foi um ponto estratégico de defesa nos alvores da nacionalidade, e a sua origem é bem anterior à funda??o do Condado Portucalense. Mogadouro é um concelho bastante extenso, com belíssimas paisagens, nomeadamente na época das amendoeiras em flor, e com grandes potencialidades agrícolas, fazendo a transi??o entre o Planalto Mirandês e os vales dos rios Sabor e Douro. O Parque Natural do Douro Internacional, tem aqui a sua sede e abrange uma grande parte do concelho. Figura ilústre e um dos filhos da terra foi José Francisco Trindade Coelho, autor de ''Os meus Amores'', escritor, magistrado, político. Descubra Mogadouro Terra de Templários, de Távoras, Celtas e de Mu?ulmanos, Mogadouro conserva ainda ricos vestígios da sua história milenar e que merecem uma visita. Pontos de interesse em Mogadouro: ● O Salgueiral, santuário proto-histórico; ● Ponte de Zava, da Idade Média; ● Castelo Templário de Mogadouro, do século XII; ● Sala Museu de Arqueologia; ● Igreja da Misericórdia; ● Oratório de S?o Sebasti?o, edificado pelos Távoras, no centro da vila; ● Monóptero de S?o Gon?alo, Monumento de Interesse Público; ● Igreja do Convento de S?o Francisco, do século XVII e as Capelas das Pereiras e dos Mouros, monumentos classificados; ● Igreja de S?o Martinho do Peso; ● Castro de Oleiros (pré-história) e as ruínas da Capela de S?o Fagundo, da Idade Média, em Urrós; ● Castelo de Penas Roias, do século XII; ● Igreja de Algosinho, do século XIII, em Peredo da Bemposta; ● Castro Vicente, da Idade do Ferro e a Capela do Senhor da Fraga, do século XVI, em Castro Vicente; ● Os Passos, do século XVIII, e a Igreja de Santa Maria, do século séc. XIII, em Azinhoso; ● Palácio dos Pimentéis, do século XVIII, em Castelo Branco; ● Diversas pontes medievais e vários pelourinhos dos séculos XVI e XVII. ● Capela do Santo Cristo em Bemposta, com pinturas renascentistas. ● Alguns solares e igrejas dispersos por outras localidades do concelho; No concelho existem parques de merendas e para autocaravanas. Da gastronomia local recomendamos Vitela ou cabrito assado na brasa, Posta à Mirandesa ou bacalhau com batatas a murro. Ambientes Paisagísticos e Miradouros● Miradouro Carrascalinho: sobranceiro ao rio Douro; ● Miradouro Cruzinha: sobranceiro ao rio Douro; ● Miradouro do Cardal do Douro, em Bemposta: Miradouro com uma das mais belas vistas de Portugal! ● Cascata da Faia Alta; ● Barragem de Bemposta; Fauna e Flora Nos vales, prolongando o clima temperado mediterraneo do vale do Douro, encontram-se as culturas da amendoeira, da oliveira e do sobreiro. A ca?a tem também um lugar privilegiado, com a existência de espécies como a lebre, o coelho, a perdiz, a raposa e o javali. é um concelho eminentemente agrícola, dedicado à cultura de cogumelos, cereais, vinha, castanheiro, amendoeira, a oliveira e à cria??o de gado ovino e bovino, com predominancia da ra?a mirandesa. No silêncio do monte, ouvem-se alguns sons provocados pelos sard?es, sardaniscas e cobras, circulando entre as ervas secas ou r?s e cágados, mergulhando no rio que chegam a provocar arrepios. A ca?a é à lebre, ao coelho e à perdiz, havendo também algumas montarias ao javali; A pesca é ao escalo e ao barbo; O Parque Natural do Douro Internacional é um verdadeiro santuário da águia real, da águia de Bonelli, do abutre do Egipto, do grifo e da cegonha. Eventos, Tradi??es, Feiras, Festas e Romarias Feiras Mensais: ● Mogadouro: dias 2 e 16 de cada mês; ● Urrós: dia 07 de cada mês; ● Tó: dia 11 de cada mês; ● Sanhoane: dia 26 de cada mês; Feiras anuais: ● Amendoeiras em Flor (Mar?o); ● Feira do Livro (Junho); ● Urrós: dia 15 de Setembro; ● Azinhoso: dia 08 de Setembro; ● Feira dos Gorazes, Outubro; ● Feira Franca dos Produtos da Terra; ● Outras atividades e eventos: ● Romaria e Festa de Nossa Senhora do Caminho, no último domingo de Agosto, em Mogadouro; ● Encontro de Micologia (Finais de Outubro); ● Festas de solistício de inverno: ● Festa dos velhos em bru?ó (25 de Dezembro); ● Festa do Chocalheiro em Vale de Porco (25 de Dezembro); ● Festa do Chocalheiro em Bemposta; ● festa de Nossa Senhora do Caminho; ● Festa de santa Ana, organizada pelos jovens solteiros de Mogadouro; ● Encontro de Máscaras; ● Festa do Farandulo e Cécia, no primeiro domingo de janeiro em Tó. ● Bemposta tem a tradi??o de festejar ''O Dia do Chocalheiro'' a 26 de dezembro e a 1 de janeiro, a partir da meia-noite. ● Todos estes rituais com máscaras do Inverno transmontano, s?o eventos ricos em simbolismo e beleza que envolvem os naturais da terra e atraem anualmente curiosos e estudiosos, mantendo as tradi??es vivas. Info Mogadouro Pub Red Burros Voo à Vela Azeite Banda Filarmónica Torre de Moncorvo Igreja Matriz Amendoeiras em flor Muralha de Castelo Publicidade Torre de Moncorvo Vila o Douro Superior, com tradi??es e encanto, situada na confluência dos rios Sabor e Douro. Estes dois rios, o Vale da Vilari?a e a Serra do Reboredo marcam a paisagem deste concelho. Teria nascido de uma remota Vila da Alta Idade Média designada Vila Velha de Santa Cruz da Vilari?a, nas proximidades do núcleo de vida pré-histórica do Baldoeiro. Pertence ao distrito de Bragan?a e à diocese de Bragan?a-Miranda. Coincide a norte, com Alfandega da Fé, a leste, com Mogadouro e Freixo de Espada à Cinta e a sul com Espanha e com o concelho de Foz C?a, já no Distrito da Guarda. Dista de Bragan?a, capital de distrito 93 kms, cerca de 1h30 de automóvel. Aqui nasceram, entre outros, o General Claudino, o Visconde de Vila Maior e Constantino José Marques de Sampaio e Melo – florista. Também o poeta Jorge Luis Borges, crê-se que tem raízes nesta terra. Descubra Torre de Moncorvo Conhe?a a lenda de Torre de Moncorvo e suas tradi??es. Esta vila do Nordeste Transmontano disp?e de um interessante património cultural. Aqui pode apreciar e observar alguns edifícios de interesse, Igrejas e monumentos: ● Chafariz Filipino datado de 1636; ● Chafariz de Santo António, do séc. XVI, que ostenta a antiga heráldica municipal, coroado com front?o de volutas; ● Fonte de Santiago, fonte coberta, datada do séc. XVII; ● O castelo de Torre de Moncorvo, dos séculos XIII-XIV. Subsistem restos da sua estrutura, conserva-se intacta a porta do lado nascente e alguns panos da muralha, que cercavam a antiga vila. ● Capela de Nossa Senhora dos Remédios, do século XVII; ● Capela de S. Sebasti?o; ● Capela do Espírito Santo; ● Capela de Santo António; ● Igreja da Misericórdia; ● Solar dos Pimenteis, um edifício do séc. XVIII, com fachada barroca; ● Pa?os do Concelho, edifício do século XIX, de estilo neoclássico. Ostenta na fachada a heráldica municipal; ● Solar dos Tenreiros, casa do século XVIII, com bras?o e capela dedicada a S. José; ● Casa da Roda, casa típica da arquitetura rural transmontana. Apresenta uma varanda alpendrada e uma pequena janela (destinada à roda) com a data de 1785. Local onde atualmente funciona o Posto de Turismo; ● Casa da Avó Casa, do século XVIII. Atualmente funciona como Turismo de habita??o; ● Núcleo Museológico do Vinho, antiga oficina vinária da casa de António Montenegro; ● Igreja Matriz, cuja constru??o se iniciou na primeira metade do século XVI levando cerca de um século a ser construída. Na fachada, apresenta um belo pórtico em estilo renascentista e no interior ostenta um grandioso retábulo setecentista e uma notável obra de arte - o tríptico de Sant'Ana, de origem flamenga. Está classificada como Monumento Nacional; ● Pelourinho de Torre de Moncorvo; ● Escava??es arqueológicas no adro da igreja de Santa Maria em Mós; Ambientes paisagísticos e Miradouros● Miradouro de S?o Gregório, em Torre de Moncorvo: Deste local poderá obter vistas privilegiadas sobre toda a regi?o; ● Miradouro do Santuário de Nossa Senhora do Castelo, na freguesia de Urros: Avistam-se deste ponto outros miradouros, como o de S?o Gabriel, o de Santa Bárbara, o monte Calabre com os seus restos de muralha no concelho de Vila Nova de Foz C?a. Este miradouro tal como o poio (marco geodésico em Moncorvo) tem grande importancia arqueológica. A designa??o ?castelo? está relacionada com a existência de um castelo medieval, ainda usado nos séculos XII e XIII. Ainda se vêm vestígios de muralhas e de casas. Poderá ter existido aqui também uma povoa??o castreja romanizada; ● Miradouro da Igreja Matriz de Urros: Pequeno miradouro a oferecer belas vistas sobre os campos cultivados de Urros e as montanhas ao redor; ● Miradouro de Santa Leocádia, autêntica varanda sobre Torre de Moncorvo: Este miradouro transmite toda a beleza dos horizontes ao preciar uma majestosa paisagem que se abre, quer para o vale da vilari?a quer para a imponente serra do Reboredo; ● Miradouro da Serra do reboredo; ● Miradouro da Lousa;● Miradouro de Peredo dos Castelhanos;● Miradouro do Felgar; ● Barragem do Pocinho; ● Foz do Sabor;● Barragem do Baixo Sabor; ● Neste concelho existem diversos parques de merendas e uma ecopista que resulta do aproveitamento da extinta linha de caminho de ferro do Sabor. No concelho existem parques de merendas e para autocaravanas. Fauna e Flora O maior jazigo de ferro da Europa está na Serra do Reboredo. é também um grande reservatório de água com muitas nascentes espalhadas pelo concelho. Tem um manto vegetal de espécies variadas e manchas de pinheiros, medronheiros, cedros, castanheiros, sobreiros e carvalhos. O retalho de carvalhal primitivo é referido como a maior mancha de carvalhos brancos da Europa. Neste manto florestal existem também orquídeas bravas. Nas margens dos rios Sabor e Douro existe outro tipo de paisagem, íngreme e acidentada, apenas acessível aqueles que se atrevam a aventurar através de penedos ciclópicos e vegeta??o rasteira. é o mundo mais natural e selvagem que existe no país e paraíso para a lontra, o lobo, o falc?o, o a?or, o cor?o, o gato selvagem, a cobra bastarda e a águia pesqueira. Eventos, Tradi??es, Feiras, Festas e Romarias: Feiras Mensais: ● Torre de Moncorvo: Feiras de 15 em 15 dias; Feiras de Ano: ● Torre de Moncorvo: 10 de Maio; 13 de Agosto; 11 de Setembro; 09 de Dezembro; 23 de Dezembro; ● Feira Medieval; ● Outras atividades e eventos deste concelho; ● Festa de Nossa Senhora da Assun??o, dia 15 de Agosto; ● Flor da Amendoeira: Um dos eventos importantes deste concelho; ● Mês de Constantino, Rei dos Floristas; ● Desportos radicais: parapente na Serra do Reboredo e desportos naúticos na Foz do Sabor. ● Carvi?ais Rock. Info Torre De Moncorvo Pub Eventos e Tradi??es Eventos e Tradi??es Eventos e Tradi??es Eventos e Tradi??es Vila Flor Igreja Piscina Municipal Fonte Romana Publicidade Vila Flor Vila do distrito de Bragan?a, e da diocese de Bragan?a-Miranda. Coincide a nordeste com Macedo de Cavaleiros, a leste com Alfandega da Fé, a sueste com Torre de Moncorvo, a sudoeste com carrazeda de Ansi?es e a noroeste com Mirandela. Dista de Bragan?a, capital de distrito 80km, cerca de 01h15 de automóvel. Natural de Vila Flor é Gra?a Morais, pintora, cujo nome está associado ao Centro de Arte Contemporanea de Bragan?a. Descubra Vila Flor Um concelho rico em história, tradi??es, monumentos e gentes, bem como é referência pela excelente qualidade dos produtos agrícolas do Vale da Vilari?a. ● Museu Municipal Dr.a Berta Cabral Foi fundado em 1957, num edifício dos séculos XII/XIII, Antigo Solar dos Aguilares, situado perto da Igreja Matriz. Foi sede dos antigos Pa?os do Concelho, acolheu também o talho municipal, a reparti??o das finan?as, o Posto da Guarda e a Biblioteca Municipal. O seu espólio compreende cerca de 3000 pe?as, entre cole??es de numismática e medalhística, pintura, arqueologia, etnografia, artesanato africano e arte sacra, a maioria, ofertas de gente e amigos de Vila Flor. ● Casa Museu da Família Vila Real - Benlhevai António Fernando Vila Real, o seu mentor, nasceu em Benlhevai, concelho de Vila Flor e materializou, nesta Casa Museu, o sonho de guardar tudo o que via e o rodeava: um lugar, uma pedra, um animal, um objeto, enfim, todas as coisas que o fascinavam. Nasceu assim a Casa Museu da Família Vila Real, com cole??es de animais devidamente conservados; cole??es de armas, loi?as, cachimbos e conchas; objectos africanos, romanos, árabes e do paleolítico; cole??es de santos e objetos religiosos; cole??es de objetos de ilumina??o - candeias, lampi?es; instrumentos musicais, de lavoura e livros. Ao seu espólio juntou a história da sua família com fotos, documentos, livros e outros objetos pessoais. Outros pontos de interesse a visitar também em Vila Flor: ● Centro Cultural e Biblioteca Municipal; ● Complexo Turístico do Peneireiro: parque de campismo, piscina municipal e albufeira do Peneireiro; ● Fonte Romana da Vila e outras fontes espalhadas pelas localidades do concelho; ● Zona velha de Vila Flor, Arco de D. Dinis, onde, segundo a tradi??o, se terá localizado o bairro dos judeus; ● Forca e pelourinho de Freixiel; ● Aldeia abandonada de Gavi?o; ● Património arqueológico: Atalaias de Santa Comba, Madedinho, Ribeirinha e Nabo; ● Terra de Solares: Solar dos Capit?es-Mores de Vila Flor, Casa brasonada do século XVIII, Solar dos Condes de Sampaio ou Casa do Pa?o, Solar dos Lemos; ● Escultura Natural encontrada entre Valtorno e Seixo de Manhoses. Ambientes Paisagísticos e Miradouros● Miradouro de Nossa Senhora da Lapa, em Vila Flor; ● Santuário de Nossa Senhora da Assun??o, Vilas Boas; ● Santuário de Santa Cecília, em Seixo de Manhoses; ● Santuário de N. Sra. do Castanheiro, em Valtorno; No concelho existem parques de merendas e para autocaravanas. Fauna e FloraNa barragem do Peneireiro é possível verem-se mergulh?es-de-crista, e pelo concelho há também espécies de ca?a como o coelho, lebre e perdiz. Vinhas, pinhais, pomares preenchem a paisagem juntamente com o seu lago artificial e flora silvestre. Eventos, Tradi??es, Feiras, Festas e Romarias Feiras Mensais: ● Vila Flor: Feiras Mensais, dias 15 e 28 de cada mês, no Parque Municipal de Feiras e Exposi??es; ● Santa Comba de Vilari?a: Feira Mensal, segundo domingo de cada mês; Feiras Anuais: ● Vila Flor: Feira de Ano, dia 12 de Agosto, no Parque Municipal de Feiras e Exposi??es; ● Freixiel: Feira Anual de Junho com Produtos da Regi?o. Festas e Romarias: ● Romaria e Festa de Nossa Senhora da Assun??o, em Vilas Boas; ● Amendoeiras em Flor; ● Assares e Lod?es – (Assares) Festa de S?o Miguel (29 de Setembro); (Lod?es) Festa de S?o Tiago (25 de Julho) ● Benlhevai – Festa do Divino Espírito Santo (7.o Domingo depois da Páscoa) ● Candoso e Carvalho de Egas – (Candoso) Festa de S?o Sebasti?o (20 Fevereiro); Festa de Senhora Assun??o (3.o Domingo de Agosto); (Carvalho de Egas →) Festa de Santa Catarina (25 de Novembro) ● Freixiel – Festas de Santa Maria Madalena (22 de Julho); Festa de Nossa Senhora do Rosário (2o semana de Agosto); Festa de Santa Bárbara (2o Domingo de Setembro); Festa de S?o Jo?o de Freixiel (24 de Junho); Festa das Maias e Folgares e de S?o Luís (Agosto); Arremata??o da Esmola de S?o Sebasti?o (último Domingo de Janeiro) ● Roios – Festas de S?o Jo?o Baptista (24 de Junho); Festa de Santa Catarina (25 de Novembro); Festa de Nossa Senhora da Gra?a (1.o Domingo de Agosto) ● Sam?es – Festas da Nossa Senhora do Rosário (Primeiro de Janeiro); Festa de S?o Brás (3 de Fevereiro) ● Sampaio – Festa de Santo André (30 de Novembro); Festa de Nossa Senhora da Rosa (1.o Domingo de Maio); Festas de Ver?o (1.o Domingo de Agosto) ● Santa Comba de Vilari?a – Festas em honra de S?o Pedro (29 de Junho); Festa em honra de S?o Bernardo (20 de Agosto) ● Seixo de Manhoses – Festas de Santa Bárbara (4 de Dezembro); Festa de Santa Cecília (terceiro fim de semana de Agosto) ● Trindade – Festa de Santíssima Trindade (7.a semana depois da Páscoa); Festa da Santa Maria Madalena (em Macedinho, 2.o Domingo de Agosto); Festa de S?o Gregório (em Valbom) ● Vale Frechoso – Festas de S?o Louren?o (10 de Agosto); Festa de S?o Paulo (25 de Janeiro) ● Valtorno e Mour?o – (Valtorno) Festa de Nossa Senhora do Castanheiro (8 Setembro e 2.o Domingo de Agosto); Festa de Espírito Santo (7o Domingo depois da Páscoa); Festa de Nossa Senhora de Fátima (3.o Domingo de Agosto); (Mour?o) Festas de S?o Jo?o Baptista (24 de Junho); Festa de Nossa Senhora da Saúde e S?o Ciríaco (2.o Sábado e Domingo de Agosto) ● Vila Flor e Nabo – Festa de S?o Bartolomeu (24 de Agosto); Festa de S?o Sebasti?o (20 de Janeiro); Festa de S?o Louren?o no Arco (10 de Agosto); (Nabo) Festa de S?o José (19 de Mar?o); Festa de S?o Gens (30 de Agosto); Festa de Nossa Senhora do Carrasco (2.o Domingo de Agosto) ● Vilas Boas e Vilarinho das Azenhas – (Vilas Boas) Festa de Nossa Senhora Assun??o (14 e 15 Agosto); Festa de Santa Eufémia (3.o Domingo de Setembro); Festa de Santa Maria Madalena (22 de Julho); Festa de Ascen??o do Senhor (6.o Domingo depois da Páscoa); (Vilarinho das Azenhas) Festa de Santa Justa (19 de Julho); Festa de Nossa Senhora dos Remédios (1.o Domingo de Setembro) Outras atividades: ● Desporto: Futebol e futsal, desportos radicais, TT, atividades no parque de campismo; ● Atividades das Associa??es Culturais, Recreativas e Desportivas do concelho; Info Vila Flor Pub Terra Flor Romarias Festas Eventos Vimioso Igreja Matriz Ponte Campeonato Nacional de Trial 4×4 Publicidade Vimioso Vila do distrito de Bragan?a, e da diocese de Bragan?a-Miranda. Coincide a norte com Espanha, a leste com Miranda do Douro, a sul com Mogadouro, a oeste com Macedo de Cavaleiros e a noroeste com Bragan?a. Dista de Bragan?a, capital de distrito 47km, cerca de 01h00 de automóvel. Vimioso tem raízes pré-históricas, a comprovar pelos indícios dos castros existentes como o da Atalaia, o das Pereiras, o da Batoqueira, do Vale de S. Miguel ou o da Terronha. Os castelos de Vimioso e de Algoso, juntamente com os da regi?o (Bragan?a, Outeiro, Miranda, Penas Roias e Mogadouro fizeram parte da linha de defesa da fronteira oriental do reino de Portugal. Em Vimioso, além do castelo destruído no século XVIII, existia a torre da Atalaia de que ainda restam vestígios. Em 1516, Vimioso foi elevada a vila por foral do Rei D. Manuel. Celebra o seu feriado a 10 de Agosto e é o único concelho com duas vilas: Vimioso e Argoselo. Descubra Vimioso Vimioso é marcadamente rural. As principais atividades da popula??o s?o a agricultura, a olivicultura, a vinicultura, a produ??o de amêndoa e corti?a, mas que também se dedica à constru??o civil, à serralharia e à indústria de transforma??o de madeira, fumeiro e artes tradicionais. A tradi??o do artesanato vai-se mantendo com funileiros, arreeiros, curtumes, alfaiataria, latoaria, rendas e bordados. As minas de volframio e estanho, em Argoselo, atualmente desativadas, chegaram a empregar muita gente na extra??o mineira até 1986, impulso económico significativo no concelho. Este concelho tem muita liga??o aos judeus, que foram autorizados a estabelecerem-se em Ca?arelhos, Argozelo, Car??o e Vimioso. Convertidos à for?a à religi?o católica, constituíram nestas localidades comunidades importantes que pouco se misturaram com o resto da popula??o até meados do século XX. Distinguiam-se dos lavradores pelos ofícios exercidos, ligados ao artesanato e comércio. Pontos de interesse a visitar em Vimioso: ● Igreja matriz do século XVI/XVII, antiga igreja romano-gótica, pelourinho da idade média; ● Termas da Terronha; ● Solar dos Távoras, Pelourinho de Algoso e castelo, igreja matriz, capela de S. Jo?o do século XVII; ● Castros od Gago e da Cocoia em Angueira; ● Capela de S. Bartolomeu em Argozelo; ● Capela Joanina em Ca?arelhos; ● Ponte romana sobre o rio Sabor em Car??o; ● Centro Interpretativo das Minas de Argozelo; ● Parque de campismo; ● Parque para autocaravanas; ● Geocaching; Ambientes Paisagísticos e Miradouros● Miradouro da Atalaia, em Vimioso; ● Miradouro das Pereiras, em Vimioso; ● Castelo de Algoso; ● Miradouro do castelo, em Campo de Víboras; No concelho existem parques de merendas e para autocaravanas. Fauna e Flora Os vales dos rios Angueira, Sabor e Ma??s, proporcionam condi??es excecionais para a vida de algumas das espécies de fauna e flora mais emblemáticas. Aqui, faz-se cria??o de gado bovino, ovino e caprino. O Mocho galego, a Cegonha-preta, o Britango, a águia de Bonelli, o Falc?o-peregrino, a águia-real, o Chasco-preto, a Gralha-de-bico-vermelho ou o Andorinh?o-real têm por aqui o seu poiso. Para além da observa??o da avifauna local, conhe?a algumas das mais emblemáticas paisagens da regi?o. Eventos, Tradi??es, Feiras, Festas e Romarias Feiras Mensais: ● Vimioso: Feiras quinzenais, dias 10 e 25 de cada mês; ● Algoso: Feria Mensal, dia 9 de cada mês; ● Vilar Seco: Feira Mensal, dia 13 de cada mês; ● Ca?arelhos: Feira Mensal, dia 19 de cada mês; ● Argozelo: Feira Mensal, dia 23 de cada mês; ● Car??o: Feira Mensal, segundo domingo de cada mês; Feiras Anuais: ● Algoso: Feira de S?o Louren?o, Feira Franca, dia 9 de Agosto; ● Vimioso: Feira de S. Louren?o, feriado municipal, dia 10 de Agosto; ● Argozelo: Feira de S?o Bartolomeu, Feira Franca, dia 23 de Agosto; ● Ca?arelhos: Feira Anual do P?o, no Domingo de Ramos; ● Feira das artes e ofícios, em Dezembro, em Vimioso; Feira da Rosquilha em Argozelo; Principais Festas do concelho: ● Argozelo: Festas de S. Bartolomeu (24 de Agosto) e Sra das Dores (1.o domingo de Setembro); ● Campo de Víboras: Festa de S. Tiago, (últimos domingo e segunda-feira de Agosto); ● Car??o: Festa de Nossa Senhora das Gra?as (último domingo de Agosto); ● Vimioso: Festas de S. Louren?o, Santa Bárbara, Nossa Senhora dos Remédios e Nossa Senhora da Saúde, em Agosto; ● Festa da ''Machorra'': Festa da mocidade, no dia de todos os Santos, em Vale Frades; Outras Festas e atividades do concelho: ● Concurso de gado bovino de ra?a mirandesa e lutas de touros; ● Festas tradicionais, Santos, Natal, Carnaval e Páscoa, festas dos Padroeiros e dos Santos mais devotos; Info Vimioso Pub Eventos King Portugal Eventos Eventos Vinhais ViTurismo Rural Castanea Alheiras Publicidade Vinhais Vila do distrito de Bragan?a e da diocese de Bragan?a-Miranda. Coincide a norte e oeste com Espanha, a leste com Bragan?a, a sul com Macedo de Cavaleiros e Mirandela e a oeste com Valpa?os e Chaves. Dista de Bragan?a, capital de distrito 31km, cerca de 00h40 de automóvel. Vinhais remonta a tempos ancestrais. As inscri??es rupestres, edifica??es de tipo dolménico e fortifica??es castrejas s?o vestígios arqueológicos que o atestam. Foi um castro de povoamento galaico-romano, na margem direita do rio Tuela, na Serra da Coroa, em pleno Parque Natural de Montesinho, a comprovar pelos vestígios encontrados de edifica??es da antiga cidade romana de Veniatia e da estrada militar romana que ligava Braga a Astorga. O Feriado Municipal é em 20 de Maio, data do 1.° Foral concedido a Vinhais por D. Afonso III, mas as grandes festas do concelho s?o em 15 de Agosto, dia da sua Padroeira, Nossa Senhora da Assun??o. Descubra Vinhais Vinhais, de acordo com alguns historiadores, deve o seu nome à produ??o de vinho, atividade importante no concelho, “terra de vinhas e vinhedos”, e ainda hoje, a natureza, a agricultura, a gastronomia e os produtos autóctones como a castanha e o porco Bísaro s?o pólos de atra??o e desenvolvimento do concelho. Situada num local estratégico, Vinhais foi palco de diversos episódios militares e tem muitas histórias para contar, para além de muitas lendas e tradi??es, festas e outras atividades que merecem ser conhecidas e vividas. Pontos de interesse ilustrativos da história da vila e do concelho de Vinhais: ● Parque Natural de Montesinho, a natureza no seu melhor; ● Casa da Vila - Centro Interpretativo do Parque Natural de Montesinho, junto à muralha do castelo de Vinhais. Espa?o para ajudar a compreender os valores naturais que fazem do Parque um lugar onde nos podemos misturar com a natureza; ● Parque Biológico e suas atividades, um dos mais ricos do país; ● Centro Histórico de Vinhais; ● Museu de Arte-Sacra da Ordem III - S. Francisco de Vinhais: Integra uma preciosa colec??o de arte sacra composta de pe?as de ourivesaria, paramentaria, estatuária, pintura, mobiliário, gravura e arquivo documental; ● Museu do Azeite e o Museu Etnográfico de Agroch?o; ● Escola Museu de Vila Verde; ● Igreja de S?o Fecundo; ● Igreja e convento de S?o Francisco; ● Igreja de Nossa Senhora da Assun??o; ● Pelourinho de Vinhais; ● Solares da Corujeira, dos Condes de Vinhais, de Estêv?o de Mariz e do Conde de Sarmento; ● Fonte do Cano, dos Pa?os Medievais do Concelho e Cadeia; ● Lorga de Dine, do período do Calcolítico e respetivo Centro de interpreta??o; ● Aldeias de Vilar Seco, Ervedosa, Pa?ó e Santalha; ● Visite a zona de Lomba: conjunto de aldeias entre os rios Raba?al e Mente, com uma paisagem magnífica destacando-se os castanheiros, lameiros, moínhos tradicionais, adegas de Vilar Seco e, principalmente, as suas gentes; ● Prove o delicioso Folar, os prátos típicos da regi?o, os doces conventuais e o famoso Fumeiro de Vinhais. Partilhe também com a família e com os amigos, ou convide-os a visitar esta terra! Ambientes Paisagísticos e Miradouros● Miradouro do Alto da Ciradelha; ● Miradouro do Santuário de Nossa Senhora da Piedade, em Agroch?o; ● Miradouro de Sobreiró de Baixo; ● Miradouro do Santuário de Santa Luzia; ● Miradouro de Vilar Seco de Lomba; ● Miradouro do Castelo Seix?o, em Santalha; No concelho existem parques de merendas e para autocaravanas. Percursos Pedestres de pequena rota(PR)● Via Augusta XVII O tra?ado da Via XVII no Concelho de Vinhais compreende cerca de 18 km no limite da Freguesia de Agroch?o. Nesta aldeia visite o Museu Etnográfico Rural e o Museu do Azeite, localizado num antigo lagar, mostrando todo o seu processo de fabrico; ● Caminho da Ciradelha Percurso pedestre de ambito paisagístico em Vinhais, numa extens?o de 9km, cerca de 03h30 de caminhada e um nível de dificuldade médio; ● Moinho do Perigo Percurso pedestre de ambito paisagístico em Vinhais, numa extens?o de 4,8km, cerca de 02h00 de caminhada e um nível de dificuldade médio; ● Fragas do Pinheiro Percurso pedestre de ambito paisagístico em Pinheiro Novo, numa extens?o de 12 km, cerca de05h00 de caminhada e um nível de dificuldade médio/ alto. Fauna e Flora Vinhais situa-se na denominada Terra Fria Transmontana com uma flora diversificada e com espécies seculares, designadamente castanheiros, carvalhos e nogueiras. Da fauna autóctone deste concelho destacam-se: o porco Bísaro, a cabra-preta de Montesinho, a ovelha Churra Galega Bragan?ana, o burro Mirandês e o lobo. Eventos, Tradi??es, Feiras, Festas e Romarias: Feiras Mensais: ● Vinhais: Feira Quinzenal, dias 9 e 23 de cada mês; ● Agroch?o: Feira mensal no 4.o Domingo de cada mês; ● Edral: Feira mensal no 2.o Domingo de cada mês; ● Moimenta: Pequena feira mensal no último Domingo de cada mês; Feiras Anuais: ● Vinhais: Feira anual no primeiro Domingo do mês de Setembro, no recinto da Capela de Santo António; ● Moimenta: Feira Franca no último fim-de-semana de Abril com várias atividades; ● Vilar de Peregrinos: Feira Anual, dia 24 de Abril no Recinto da Capela de S. Jorge. Festas e Romarias: ● Grandes Festas do concelho: 15 de Agosto, dia da Padroeira, Nossa Senhora da Assun??o; ● Romaria de Santo António: primeiro Domingo do mês de Setembro; ● Romaria de S. Tiago de Ribas em Edral, no segundo Domingo de Agosto; ● Romaria de Nossa Senhora da Alegria em Ousilh?o, no segundo Domingo de Agosto; ● Romaria de Nossa Senhora da Saúde em Vale de janeiro, no último Domingo de Agosto; ● Romaria de Nossa Senhora dos Remédios em Tuizelo, em 8 de Setembro; ● Romaria do Senhor dos Aflitos em Passos de Lomba, no segundo Domingo de Agosto; ● Romaria de Nossa Senhora do Carmo na Moimenta, dias 19 e 20 de Agosto; ● Romarias de S. Venancio, em 18 de Maio e de Nossa Senhora da Penha de Fran?a, em 15 e 16 de Agosto, em Rebordelo; ● Romaria de Nossa Senhora dos Remédios em Nunes, em 15 de Agosto; Outras Festas e atividades do concelho: ● Eventos de cultura regional como dan?as e cantares, jogos tradicionais, usos e costumes do Natal, da Páscoa, dos Reis, diabos, caretos, máscaras e mascaradas; ● Espetáculos da Banda Filarmónica; ● Desporto: Futebol, desportos radicais, TT, motos; ● Festa da Cabra e do Canhoto em Cid?es, a 01 de Novembro; ● Concentra??o motard dos Javalis do Asfalto. Info Vimioso Pub Parque Biológico Paisagens Tradi??es Fauna Descubra Toda a informa??o para se perder e n?o perder nada! Seja qual for o motivo da sua vinda a Bragan?a, durante todo o ano, há sempre algo para descobrir, a come?ar pela muta??o das cores em cada esta??o do ano, juntamente com as suas tradi??es ancestrais, património e monumentos, uma cultura com origens Celtas, rituais, uma gastronomia rica em aromas e onde as suas gentes, com a sua sabedoria e simplicidade, est?o sempre disponíveis a receber a quem vier por bem. Esta é uma regi?o, muito procurada pelo ecoturismo, dispondo de uma beleza paisagística em estado puro, povoada por animais selvagens como o Veado, o Javali e o Lobo Ibérico ou as aves de rapina como a águia Real ou o Abutre do Egipto. Aqui encontramos o Parque Natural de Montesinho e o Parque Natural do Douro Internacional, para além do Douro Património Mundial e da área Protegida da Albufeira do Azibo. A pouco mais de meia hora de carro, aqui mesmo ao lado, na vizinha Espanha, situa-se o Parque Natural do Lago da Sanábria. A sul, na outra margem do Douro, está o Parque Arqueológico do Vale do C?a. Veja como chegar, sugest?es sobre o que fazer, o que visitar, passeios a realizar ou para organiza??o de eventos em família ou em grupo. Disfrute de atividades quer de ambito cultural, quer ambiental, paisagístico, de lazer, de saúde ou desportivo. De forma a podermos dar a conhecer um pouco a cidade, o concelho e a regi?o, pois há mesmo muita coisa para descobrir aqui, no Nordeste Transmontano, apresentamos, a título meramente sugestivo, algumas dicas, outras indica??es pertinentes e publicidade sobre negócios e empresas dispostas a colaborar consigo na programa??o e para tornar memorável e inesquecível a sua visita. Aqui, aconselhamos sobre os lugares que n?o podem perder na vossa visita. Juntamente com parcerias empresariais e institucionais, disponibilizamos informa??es necessárias para conhecer a cidade de Bragan?a e a regi?o, bem como sugerimos visitas, passeios e experiências turísticas. Preparados!!!??? Aqui vamos nós! Para resolu??o de qualquer tipo de problema, os turistas devem dirigir-se à Polícia de Seguran?a Pública (PSP) ou à Guarda Nacional Republicana (GNR). Info Tempo em Bragan?a Pub Pub Como Chegar TRANSPORTES Para visitar Bragan?a, querendo optar por transporte rodoviário, há diversas empresas, nacionais e internacionais que efectuam servi?os na central de camionagem. A cidade disp?e de transportes urbanos com alguns percursos que abrangem algumas aldeias próximas: ● STUB. Bragan?a se liga-se à Galiza pelo Norte e por Este a Castela e León, províncias de Espanha. A sul, cruzando com o rio Douro, liga-se aos distritos de da Guarda e Viseu. A ocidente liga-se com o distrito de Vila Real. (Dados informativos sobre as distancias e tempos de percurso recolhidos de ViaMichelin.) Vindo do Porto por Vila Real: Porto (A4) – Vila Real – Bragan?a (212 Kms) – (03h04) Vila Real – Bragan?a (120 Kms) – (01h52) Porto (A3) – Santo Tirso (A7/IC5) – Guimar?es – Vila Pouca de Aguiar Em Vila Pouca de Aguiar duas alternativas: Vila Pouca de Aguiar (A24/IP3) – Vila Real (A4) – Bragan?a Vila Pouca de Aguiar (A24/IP3) – Chaves (N-103) – Rebordelo – Vinhais (N103)– Bragan?a Vindo de Braga: Braga (A11/IP9) – Guimar?es (A7/IC5) – Vila Pouca de Aguiar – Vila Real (A4) – Bragan?a (225 Kms) – (02h59) Em Vila Pouca de Aguiar, alternativa: Vila Pouca de Aguiar (A24/IP3) – Chaves (N-103) – Rebordelo – Vinhais (N103)– Bragan?a Vindo da Galiza: Vigo (A52) – Ourense – Verin – Puebla de Sanábria – Bragan?a (287 kms) – (03h17) Corunha (E-1/AP-9) – Santiago de Compostela (AP-53) – Ourense (A-52) – Puebla de Sanabria – Bragan?a (361 Kms) – (04h05) Santiago de Compostela (AP-53) – Ourense (A-52) – Puebla de Sanabria – Bragan?a (291 Kms) – (03H23) Em Puebla de Sanábria duas alternativas: Puebla de Sanábria (CL-622) – Calabor – Portelo – Fran?a – Rabal – (N 103-1) Bragan?a Puebla de Sanábria (ZA-921) – Ungilde – Rio de Onor – Varge – Ba?al – (N 218-1) Bragan?a Rota alternativa: Vigo (A-52) – Ourense – Verin (N-532) – Chaves (N-103) – Rebordelo – Vinhais (N103)– Bragan?a Vigo (AP-9) – Valen?a (IP1/A-3) – Braga (A-11/IP9) – Guimar?es (A-7/IC5) – Vila Pouca de Aguiar Em Vila Pouca de Aguiar duas alternativas: Vila Pouca de Aguiar (A-24/IP3) – Vila Real (IP4/A/4) – Bragan?a Vila Pouca de Aguiar (A-24/IP3) – Chaves (N-103) – Rebordelo – Vinhais (N103)– Bragan?a Vindo de Astúrias ou Léon: Gijón – Oviedo – Léon (A-66) – Benavente (A52) – Puebla de Sanabria (320 Kms) – (03h39) Oviedo – Léon (A-66) – Benavente (A52) – Puebla de Sanabria – Bragan?a (300 Kms) – (03h25) Léon (A-66) – Benavente (A52) – Puebla de Sanabria – Bragan?a (201 Kms) – (02h26) Em Puebla de Sanábria duas alternativas: Puebla de Sanabria (CL-622) – Calabor – Portelo – Fran?a – Rabal – (N 103-1) Bragan?a Puebla de Sanabria (ZA-921) – Ungilde – Rio de Onor – Varge – Ba?al – (N 218-1) Bragan?a Vindo de Valladolid: Valladolid (A-6/E-80) – Tordesillas (A11/E-82) – Zamora (N-122) – Alcanices – Quintanilha (A4) – Bragan?a (202 kms) (02h35) Em Tordesillas, alternativa: Tordesillas (A-62/A-6)– Benavente – Puebla de Sanábria Em Puebla de Sanábria duas alternativas: Puebla de Sanabria (CL-622) – Calabor – Portelo – Fran?a – Rabal – (N 103-1) Bragan?a Puebla de Sanabria (ZA-921) – Ungilde – Rio de Onor – Varge – Ba?al – (N 218-1) Bragan?a Vindo de Madrid: Madrid (AP-6/A-6)– Medina del Campo – Tordesillas (A11/E-82) – Zamora (N-122) – Alcanices – Quintanilha (A4) – Bragan?a (355 kms) (04h01) Madrid (AP-6/A-6)– Medina del Campo – Tordesillas (A-6) Em Tordesillas, alternativa: Tordesillas (A-62/A-6)– Benavente – Puebla de Sanábria Em Puebla de Sanábria duas alternativas: Puebla de Sanabria (CL-622) – Calabor – Portelo – Fran?a – Rabal – (N 103-1) Bragan?a Puebla de Sanabria (ZA-921) – Ungilde – Rio de Onor – Varge – Ba?al – (N 218-1) Bragan?a Vindo de Ciudad Rodrigo: Ciudad Rodrigo (A-62/E-80) – Vilar Formoso (A-25/IP2) – Guarda – Celorico da Beira (IP2) – Trancoso – Foz Coa – Torre de Moncorvo – (IP2/E802) Macedo de Cavaleiros –(A4) Bragan?a (255 Kms) – (03h31) Ciudad Rodrigo (A-62/E-80) – Salamanca (A-62/E-80) – Zamora (E-82/N-122) – (A4) Bragan?a (258 Kms) – (02h56) Vindo de Salamanca: Salamanca (A-66/N630) – Zamora (N-122) – (A4) Bragan?a (175 kms) (02h18) Alternativas: Salamanca – Vitigudino – Lumbrales – Freixo de Espada à Cinta – Mogadouro – Vimioso – (A4) Bragan?a Salamanca – Ledesma – Trabanca – Fermoselle – Bemposta – Mogadouro – Vimioso – (A4) Bragan?a Vindo de Zamora: Zamora (N-122) – Alcanices– (A4) Bragan?a (102 kms) (01h34) Alternativas: Zamora (ZA-324) – Miranda do Douro – Vimioso (N218) – (A4) Bragan?a Zamora (CL-527) – Bermillo de Sayago – Fermoselle (ZA-323) – Bemposta – Mogadouro – Vimioso (N218) – Outeiro – Rio Frio – (A4) Bragan?a Locais de Interesse A riqueza do Nordeste Transmontano n?o se fica só pelas suas gentes, monumentos e tradi??es, mas por uma explendida beleza paisagística natural bem conservada ao longo dos tempos. Existem diversos percursos e vários miradouros que convidam a uma visita e a um recorrido para apreciar magestosos ambientes paisagísticos de várias perspetivas, para além de uma diversificada fauna e flora autóctones. Aqui vos deixamos algumas indica??es e sugest?es... Passeio de 1 dia Este é um roteiro abrangente para turistas em visita pela primeira vez. N?o consideramos uma visita detalhada nem demorada em cada lugar, mas um percurso geral para ficar com uma ideia da cidade. Sinta o ambiente da cidade e fique a conhecer o que de bom há para lhe mostrar: O comércio tradicional com as suas lojas características preserva a ancestral tradi??o mercantil; Nas ruas típicas, admire edifícios arquitectónicos e outros com pormenores e aspectos representativos de diferentes épocas e estilos; Fa?a um percurso pelo património religioso e observe o espólio de arte sacra visitando as Igrejas e capelas, de diferentes épocas e estilos, das sete paróquias da cidade e a Catedral da diocese; Passeie pelas margens do rio Ferven?a, corredor que leva à parte histórica da cidade até ao Castelo. Detenha-se um pouco no Centro de Ciência Viva; No Castelo percorra as ruas da cidadela; percorra também as muralhas em forma de cora??o e aprecie a beleza da paisagem num misto entre o urbano e rural. N?o deixe de visitar o Museu Militar na Torre de Menagem nem o Museu Ibérico da Máscara e do Traje; entre na Igreja de Santa Maria e na Domus Municipalis, monumento romanico único na península Ibérica. Em seguida, conte com uma visita ao Centro de Arte Contenporanea. Entre também na Igreja da Misericórdia e na Igreja de Santa Clara. Fa?a uma pausa no percurso para degustar sabores, experimentar saberes e desfrutar do ambiente social local num qualquer estabelecimento característico desta cidade. Relaxe e descanse numa das unidades hoteleiras ou de turismo rural da regi?o ou divirta-se com atividades sugeridas em agenda cultural ou de anima??o turística. Passeio de 3 dias Primeiro dia: Visite o castelo, a cidadela, a Domus Municipalis, a Igreja de Santa Maria, o Museu Ibérico da Máscara e do Traje e o Museu Militar. Fora das muralhas, des?a, através do jardim envolvente ao castelo, até à rua de S. Francisco e visite o Convento, o Arquivo Distrital, a Igreja de S. Bento, o edifício do antigo Governo Civil e o Solar dos Sá Vargas. S?o pelo menos três horas de passeio. Tire fotos da paisagem envolvente e adquira alguns “recuerdos ou souvenirs” nas lojas típicas da cidadela. O almo?o pode ser dentro do castelo, num de seus restaurantes e tome um café no Pub Duque de Bragan?a. Se preferir, no centro da cidade poderá encontrar oferta mais diversificada para os seus gostos. Enquanto passeia pelas ruas da cidade, admire edificios emblemáticos de diferentes épocas e estilos arquitectónicos. Após o almo?o, admire o Solar dos Teixeiras na Rua da Costa Grande e des?a até ao Largo do Principal, onde encontrará um edifício típico mandado construir pelo Duque de Bragan?a em 1594 e onde pode visitar a igreja de S. Vicente, Templo de raíz romanica do século XIII, reconstruída no século XVII. Pode também pode ver o monumento aos combatentes da I Grande Guerra 1914-1918. Continue em direc??o ao típico bairro de Além do Rio, atravesse a ponte e fa?a o percurso ascendente do corredor do rio Ferven?a até ao Centro de Ciência Viva. Detenha-se um pouco na Casa da Seda. Caminhe depois em direc??o ao espelho de água, no Jardim António José de Almeida, tomando a direc??o da Pra?a da Sé. Aqui admire o cruzeiro da pra?a, visite o antigo Convento dos Jesuítas e o seu claustro, a Igreja da Sé e o seu espólio de arte sacra. Visite também o Centro Cultural Municipal, a Biblioteca, o Conservatório de Música e o Espa?o Memória da Cidade. Entre no Centro de Arte Contemporanea e contemple as obras de arte da galeria. Aproveite e fa?a uma pausa para lanchar no espa?o de lazer do Centro. Já que está no centro da cidade, aproveite o tempo e fa?a compras nas lojas do comércio tradicional. Para jantar, Bragan?a disp?e de uma oferta de restaurantes, petisqueiras e casas de pasto característicos, para todos os gostos e bolsas, onde pode degustar menús da boa cozinha transmontana. Encontram-se espalhados por toda a cidade e ainda há mais localizados em algumas aldeias mais próximas. Prove das delicias transmontanas e acompanhe com nectar dos deuses. Delicie-se com sobremesas tradicionais caseiras e termine com um “chupito” de licor ou aguardente. Maravilha! AH! QUE PINGACHO! é para ficar regalados... à noite, passeie pelas ruas do centro e Disfrute do ambiente social da cidade com pub’s, bares e discotecas para todos os gostos e idades, com música ao vivo a projectar grupos da regi?o ou artistas a solo convidados para noites temáticas, ou bem com Dj’s residentes demonstrando todo o seu potencial com os últimos mix da moda. Os pre?os s?o convidativos. Por vezes há promo??es e festas temáticas. Consoante a época do ano, convém consultar a agenda de eventos pois pode haver eventos tais como “ladies night”, festa da espuma, semana do caloiro, carnaval ou semana académica, concentra??o motard, etc. Toca a bombar, pessoal! Pernoitar em Bragan?a, n?o tendo amigos ou familiares na regi?o, n?o é uma aventura. A escolha depende do or?amento. Existem parques de campismo e de autocaravanas. Para além destes, Bragan?a disp?e de uma oferta hoteleira bem equilibrada em termos de qualidade/pre?o/servi?o e de proximidade aos centros de atividades turísticas, de lazer ou de meramente para relaxar e descansar. Segundo dia: Come?e o dia tomando o pequeno almo?o na unidade hoteleira escolhida ou num dos cafés ou pastelarias espalhados pela cidade. Normalmente todos têm especialidades e especificidades “sui generis”. Visite o Museu Abade de Ba?al, baluarte da memória e tradi??es transmontanas. Seguindo, na mesma rua, admire o antigo Solar dos Pimenteis ou Casa do Arco, n?o está aberto ao público, mas merece ser observado, mesmo que de fora. Do outro lado da rua, quase em frente, o antigo edífício dos Pa?os do Concelho, e mais acima, visite também a Igreja da Misericórdia e a Igreja de Santa Clara, junto ao Pa?o Episcopal. Mais abaixo localiza-se o Seminário de S. José, na Avenida Cidade de Zamora. Passe também pelo Museu Etnográfico Dr. Belarmino Afonso, propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Bragan?a. Continue a sua caminhada subindo a rua Emídio Navarro em direc??o à Pra?a Cavaleiro Ferreira onde encontrará edifícios como o Tribunal, os Correios, o Teatro Municipal, zona comercial e ao cimo da Avenida Jo?o da Cruz, a Central de camionagem na antiga esta??o de caminho de ferro. Aqui situa-se o Núcleo Museológico da CP com algumas locomotivas primitivas da linha do Tua e outros objetos relativos à atividade ferroviária. Almo?e no Bragan?a Shopping, no Mercado Municipal ou nalgum dos restaurantes do centro. Para relaxar um pouco, visite a Catedral da Diocese e passeie no jardim da zona envolvente. Daí, dirija-se em passeio tranquilo até ao parque do Eixo Atlantico, ou des?a até ao corredor do rio Ferven?a, percorra as suas margens, exercite-se no circuito de manuten??o do jardim e visite a Casa do Mel do Parque Natural de Montesinho. Em alternativa, dê um passeio até ao jardim da Braguinha e rotunda do Lavrador e aprecie a paisagem. N?o deixe de visitar as lojas comerciais da zona ou de saborear uma qualquer especialidade em algum dos cafés da zona. Em qualquer das zonas referidas existem parques infantis equipados para o lazer das crian?as. Se preferir, fa?a o percurso pela estrada de turismo. Suba ao monte sobranceiro à cidade e observe a paisagem desde os miradouros de S. Bartolomeu e de S. Bento do Nordeste e da Europa. Ficará com uma boa perspectiva da dimens?o da cidade. Descendo, visite a igreja do Divino Senhor de Cabe?a Boa. Siga em direc??o a Castro de Avel?s e visite a igreja do antigo Mosteiro Beneditino. Conhe?a a lenda e algumas histórias da aldeia. Continue a sua rota em direc??o ao alto da Serra da Nogueira e deslumbre-se com a paisagem. Se for ver?o, sugerimos passar a tarde nas praias fluviais da zona ou nas piscinas municipais, nas do Académico de Bragan?a ou na piscina do Restaurante Ares de Serra. Para jantar, sugerimos sair do centro e optar ou pelos restaurantes do circuito da estrada de turismo, sobranceiros à cidade ou pelos restaurantes das povoa??es vizinhas. Teatro, cinema ou divers?o fecham a noite. Consulte antecipadamente a programa??o do Teatro Municipal e o cartaz do cinema. Visite o bar do foyer do Teatro e o Bragan?a Shopping. Fa?a um percurso pelos estabelecimentos de divers?o nocturna da cidade. Se o tempo permitir, sente-se numa das várias esplanadas dos cafés da cidade ou participe nas atividades nocturnas do Centro de Ciência Viva como os “cafés da ciência” ou observa??o das estrelas, sobretudo para os mais novos. Bem à noitinha, pode ainda petiscar no “Bem Falado”, a casa do Tio Artur, de saudosa memória, ou na Cervejaria Traquina, que ter?o todo o gosto em servir petiscos da regi?o e as especialidades da casa. Quer sejas motard ou nem por isso, n?o te esque?as de passar no bar do Motocruzeiro, na rotunda de Vale d’àlvaro. E... a dormir ou continuar a curtir até de manh? e ver nascer o sol. Terceiro dia: No seu último dia, durma até mais tarde. Tome o pequeno almo?o refor?ado num dos locais indicados ou experimentados nos dias anteriores. Prepare-se para um percurso pela parte rural do concelho e descubra aldeias rec?nditas com seculares tradi??es ancestrais e características peculiares no Parque Natural de Montesinho, ou outras na zona sul do concelho. Antes de partir, se n?o preparou a sua visita antecipadamente, sugerimos uma passagem pela sede do Parque Natural de Montesinho no sentido de obter informa??o útil e prática para uma visita compensatória, bem como sugest?es e recomenda??es dos técnicos. Há diferentes percursos para chegar aos pontos turísticos, na maior parte n?o é preciso veículos TT ou SUV, a n?o ser que se trate de passeios organizados com requisitos específicos. Visitanto a aldeia de Meixedo, suba ao Santuário de Santa Ana e contemple a paisagem em redor. Tire fotos ou filme. Compre fumeiro, p?o caseiro, outros produtos da terra e souvenirs regionais nas aldeias de Rabal, Fran?a ou Montesinho. Detenha-se também um pouco na barragem da Serra Serrada em pleno Parque Natural e sinta a natureza e a biodiversidade à sua volta. Leve binóculos para observar a flora e a fauna autóctone. Pode ter a possibilidade de observar alguns pássaros ou aves de rapina, bem como ter a sorte de se cruzar com algum cor?o ou veado, lobo ou javali no meio de uma deslumbrante paisagem. De Montesinho siga em direc??o a Cova de Lua. Fa?a uma pausa desfrutando de um pic-nic na zona envolvente do santuário da Senhora da Hera. Em alternativa, continue até aos moinhos de Terroso ou até ao Santuário de Santa Rita, freguesia de Espinhosela. ''Merenda comida, companhia desfeita'', diz o ditado. Volte ao ponto de partida em Bragan?a pelos trajetos de Grandais, Donai ou Carragosa. Outra alternativa de passeio é o roteiro da Lombada. De Bragan?a dirija-se a Gimonde, onde poderá observar cegonhas e seus ninhos, uma ponte romana, atividades típicas de aldeia e outras relativas ao turismo rural, lazer e restaura??o. Continuando, cerca de 5 km depois, cimo da “Sapeira” paramos na aldeia de Babe, porta de entrada no planalto da Lombada, aldeia com história desde o tempo dos romanos, vulgarmente apelidada de “balc?o da cidade de Bragan?a”. Aqui pode-se visitar o Museu Etnográfico e a Igreja de S. Pedro. Em seguida visite Palácios e Caravela com os seus museus etnográficos, moinhos. Aqui escolha uma das duas rotas: Seguir por Vila Me?, Deil?o, Petisqueira, Guadramil e regressar por Rio de Onor, Varge, Aveleda, Sacoias, Ba?al (Aeródromo municipal), Vale de Lamas e chegar a Bragan?a; Ou seguir em direc??o a Quintanilha. Maravilhe-se com as paisagens, conviva com a natureza e com a fauna e flora autoctones. Visite a praia fluvial do ''Colado'' e, antes de regressar a Bragan?a, merende num dos bares ou adega da aldeia. O que achou? Dá para conhecer bastantes coisas em 3 dias?! Esperamos que aproveite a estadia! Partilhe a sua viagem com os amigos e deixe sugest?es no nosso blogue. Ambientes Paisagísticos Parque Natural de Montesinho O Parque Natural de Montesinho é uma das maiores áreas protegidas de Portugal, por reunir um conjunto de paisagens naturais, seminaturais e humanizadas de interesse nacional, onde é visível a integra??o harmoniosa da atividade humana e da natureza. Tem uma superfície de cerca de 75.000 há, com aproximadamente 8500 habitantes distribuídos por 89 aldeias dos concelhos de Bragan?a e Vinhais. Situa-se em plena Terra Fria Transmontana, integrando duas belíssimas serras – a de Montesinho e a da Coroa. Esta área é caracterizada por um relevo de eleva??es arredondadas e vales profundamente encaixados, com altitudes que variam entre os 438 e os 1481 m. O xisto é a rocha predominante, encontrando-se ainda o granito, rochas ultra-básicas e algumas manchas calcárias. A diversidade da vegeta??o é enorme e facilmente observada em percursos de poucos quilómetros. Encontram-se carvalhais, sardoais, soutos, bosques ripícolas, giestais, urzais, estevais, lameiros, etc. No que respeita à fauna, pode observar-se uma elevada diversidade biológica que é visível nas mais de 120 espécies de aves nidificantes. Em rela??o aos mamíferos terrestres, é possível observar 70% das espécies existentes em Portugal. é de destacar a presen?a de uma das mais importantes popula??es de lobo-ibérico (Canis lupus sígnatus). Para os que apreciam as aldeias mais antigas ou o bucolismo do campo, a vida pastoril, os costumes mais pitorescos e os vestígios de uma arte antiga. Parque Natural do Douro Internacional O Parque Natural do Douro Internacional é um parque natural que abrange a área em que o rio Douro constitui a fronteira entre Portugal e Espanha, bem como o rio águeda, afluente do Douro. Inclui áreas dos municípios de Mogadouro, Miranda do Douro, Freixo de Espada à Cinta e Figueira de Castelo Rodrigo. Da sua fauna podemos observar o Abutre do Egipto, o Melro Azul, o Grifo, o Mergulh?o de Crista, o Javali, o Rato de Cabrera, a Víbora cornuda, o Barbo. Las Arribes d l Douro s?o todo um mundo aparte! Já dizia Miguel de Unamuno: ''En uno de los repliegues de ese terreno se ocultan los hondos tajos, las encrespadas gargantas, los imponentes cuchillos, los erguidos esfayaderos, bajo los cuales, allá, en lo hondo, vive y corre el Duero'' O “Douro Internacional” ou “Arribes del Duero” forma a fronteira natural entre Portugal e Espanha. A sua beleza paisagística e biodiversidade surperam as expectativas: fantásticas! A zona agrícola é preenchida com o cultivo de oliveira, amendoeira e citrinos, a par de uma vegeta?ao natural de carrascos, sobreiros, lodaos, zimbros, zambujeiros e outras. O Douro Internacional foi alvo de aproveitamento hidroelectrico com a constru??o de diversas barragens ao longo do seu percurso, que neste tramo conta com a de Miranda do Douro, Bemposta e Saucelle com acesso rodoviário entre as margens de ambos países. Albufeira do Azibo Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo A barragem do Azibo, concebida para o regadio das áreas agrícolas circundantes e para abastecimento de água potável, foi também aproveitada para o lazer e turismo. Aqui encontra uma natureza incrível, água com uma temperatura ótima, sem correntes e com praias vigiadas. Um paraíso natural em Portugal, onde a natureza mostra toda a sua beleza e enorme riqueza paisagística e biológica. Situada nas margens do rio Azibo, a cerca de 40 kms de Bragan?a, a praia fluvial do Azibo, distinguida com a Bandeira Azul foi classificada como ''praia para todos'' e ''praia acessível'', dispondo de infra-estruturas de acesso a pessoas portadoras de deficiência e de todos os equipamentos e servi?os de apoio a veraneantes. Este é um lugar de elei??o para os observadores de aves, pois uma grande diversidade de espécies, migratórias ou n?o, encontrou aqui o seu habitat ideal sazonal ou para o ano inteiro. Nos locais mais altos é possível encontrar águias e cegonhas-brancas. Entre Mar?o e Setembro, podemos ver o tartaranh?o-ca?ador que nidifica no solo e nos maravilha com os seus voos rasantes com manobras acrobáticas. Outras das aves migratórias que aqui se podem observar s?o: os ma?aricos-das-rochas e os mergulh?es-de-crista, os patos-reais, as gar?as, ou os corvos-marinhos-de-faces-brancas ou os borrelhos-pequenos-de-coleira, que de inverno ou de ver?o fazem das margens desta albufeira a zona mais concorrida. Nesta área protegida é possível também encontrar lontras, raposas ou texugos, animais com hábitos noturnos, e talvez, ainda, mesmo que seja só por breves instantes, se consigam avistar cor?os, esquilos, coelhos ou lebres. Por entre os Trilhos do Azibo, adentre-se por esta rede de caminhos pedestres e ciclovias sinalizados, explorando a fauna e a flora da zona, convivendo com uma fantástica paisagem, conhecer os vestígios arqueológicos desde a pré-história à época romana, apreciar o artesanato e participar das tradi??es, nomeadamente dos Caretos de Podence no Entrudo Chocalheiro. A Albufeira do Azibo é uma área de lazer muito apreciada. Aproveite em pleno este agradável microclima. Venha praticar desporto. Experimente remo, windsurf, canoagem ou simplesmente venha refrescar-se, tomar o sol ou passear na praia fluvial da Fraga da Pegada, de qualidade reconhecida pela bandeira azul da Europa. Lago da Sanábria Parque Natural do Lago da Sanábria Em Ribadelago, Puebla de Sanábria, Espanha situa-se o Parque Natural do Lago da Sanábria, de grande beleza. Bragan?a está a um passo, a cerca de 35 minutos de carro. Em dias céu limpo, olhando para norte, daqui avistam-se os seus picos, a partir dos 1.000 metros de altitude, juntamente com Pe?a Trevinca, o seu maior pico, a 2.124 metros de altitude. Neste parque natural, a água, as serras e grandes matas de carvalhos se misturam de tal forma que tornam todos os seus cantos imensamente belos. O lago de Sanabria é o ex-líbris do parque inserido no vale do imponente rio Tera, subafluente do rio Douro, que pelo seu percurso conhece várias barragens, desde a sua nascente em Pe?a Trevinca. N?o muito distante daqui, na Serra Segundera, nasce o rio Tuela, um dos rios que formam o rio Tua. Este grande lago é o maior lago de origem glaciar da Península Ibérica. Envolto por grandes serras, muitas lagoas de montanha, algumas cascatas como as imponentes cascatas de Sotillo e uma flora e fauna diversa que tornam o cenário único. A mascote do parque é a lontra, mas também se podem encontrar nos seus bosque, cor?os, veados, gato montês, águia real e, claro, o lobo ibérico, que domina estas paragens. Ao lado, encontram-se a Reserva Regional de Caza da Sierra de la Culebra e o Parque Natural de Montesinho, em Portugal que, no seu conjunto, fazem um espa?o ímpar na regi?o. A Sierra de la Culebra tem a maior densidade de lobos da Península Ibérica, mais de mil veados e cerca de 500 cor?os. Quem gosta de natureza n?o pode deixar de conhecer a regi?o. Apreciar as paisagens, a flora e observar a fauna local s?o enormes atrativos. Aconselha-se a observa??o de veados entre Setembro e Outubro, altura da Brama, espetáculo soberbo e de fácil observa??o. No Parque Natural da Sanábria todas as esta??es do ano têm um encanto especial: no Inverno, o lindo agreste, na Primavera o degelo, no Ver?o as praias do lago e no Outono as cores. A regi?o ficou tragicamente marcada a 9 de Janeiro de 1959, quando a barragem de Vega de Tera rebentou e milh?es de litros de água se espalharam pelo desfiladeiro do rio Tera. Em Ribadelago há um monumento que recorda o triste dia da perda de 144 vidas e deve merecer uma visita. Da aldeia antiga poucas casas escaparam, juntamente com o campanário da igreja. Parque Arqueológico do Vale do C?a Em Foz C?a, nos Vales dos rios C?a e Douro, foi descoberto um elevado número de gravuras rupestres do Paleolítico Superior. Pastores e moleiros da zona sempre conviveram com tais gravuras e até mesmo alguns deles, deixaram as suas próprias cria??es ao lado dos que os antecederam em cerca de duzentos séculos ou mais. Já na década de 1930, o médico, escritor e autarca fozcoense, Dr. José Silvério de Andrade, dava notícias de algumas gravuras, que descobrira, ao conceituado Abade de Ba?al, através de um artigo seu num jornal de Mirandela. Em 1995, a ''descoberta'' oficial de tais achados resultou da sequência dos trabalhos incumbidos pela EDP, concessionária da barragem, entretanto em constru??o no rio C?a, ao arqueólogo, Dr. Nelson Rebanda e à sua equipa. Após a declara??o da suspens?o da constru??o da barragem, o Vale do C?a e os diversos ''sítios'' entretanto identificados ao longo de 17 quilómetros, recebia a classifica??o de monumento nacional e que foi considerado pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade por se tratar do ''maior museu ao ar livre do Paleolítico, de todo o mundo, segundo os entendidos. O Parque Arqueológico do Vale do C?a (PAVC), sediado em Vila Nova de Foz C?a, gere todas as visitas e é a entidade junto da qual devem ser feitas as respetivas inscri??es para o efeito. A visita requer marca??o prévia. N?o obstante os variados ''sítios'' com gravuras, encontram-se organizadas as seguintes visitas: ● Núcleo da Canada do Inferno (a partir de Vila Nova de Foz C?a); ● Núcleo da Penascosa (a partir de Castelo Melhor); ● Núcleo da Ribeira dos Piscos (a partir de Muxagata). Miradouros de Bragan?a A seguir, deixamos algumas sugest?es sobre alguns miradouros e pontos de interesse em Bragan?a. ● Um pouco por todo o concelho de Bragan?a, o castanheiro em flor (mês de Julho); ● As extens?es de carvalhos na área da Serra de Nogueira; ● Os olivais de Izeda, Macedo do Mato e Sanceriz, na flora??o (Junho) e com o fruto maduro (Dezembro); ● Um pouco por todo o concelho e distrito, o castanheiro em flor (mês de Julho); ● A neve nas Serras de Nogueira e Montesinho (meses de Dezembro/Janeiro); ● Percurso desde a aldeia de Fran?a ao viveiro das trutas, no P. N. M.; ● Subida para a aldeia de Pombares, na estrada que deriva em Quintela de Lampa?as; ● Castelo-Cidadela; ● Miradouro de S. Bartolomeu; ● Miradouro de S. Bento; ● Alto da Serra de Nogueira; ● Alto da Serra de Montesinho; ● Santuário de Nossa Senhora do Carmo, em Parada; ● Santuário de N. Senhora do Aviso, em Serapicos; ● Santuário de Santa Ana, em Meixedo; ● Percurso da estrada E.N. 206 Bragan?a – Torre Dona Chama. ● Visite também a zona da Lombada e suas aldeias, gentes e tradi??es. Eventos Temáticos por Concelho Feiras ? FEIRA DOS GORAZES, em Mogadouro; ? FEIRA DA ALHEIRA, em Mirandela; ? EXPO TRáS-OS-MONTES, organizado pelo NERBA (Núcleo Empresarial da Regi?o de Bragan?a), em Bragan?a; ? NORCA?A, NORPESCA E NORCASTANHA, em Bragan?a; ? FEIRA DA CA?A E DO TURISMO, em Macedo de Cavaleiros; ? FEIRA DE S. PEDRO, em Macedo de Cavaleiros; ? FEIRA DO FOLAR, em Izeda - Bragan?a; ? TERRAFLOR, em Vila Flor; ? FEIRA DA MA?? E DO VINHO, em Carrazeda de Ansi?es; ? FEIRA DA CEREJA, em AlFandega da Fé; ? FEIRA DOS MORANGOS, em S. Pedro velho - Mirandela; ? FEIRA DO FUMEIRO, em Vinhais; ? FEIRA TRANSFRONTEIRI?A, em Freixo de Espada à Cinta; ? SOPAS E MERENDAS, em Freixo de Espada à Cinta; ? FEIRA MEDIEVAL, em Torre de Moncorvo; ? SABORES MIRANDESES, em Miranda do Douro; ? FEIRA DOS GRAZES, em Sendim - Miranda do Douro; ? FEIRA DAS ARTES E OFíCIOS, em Vimioso; Disfrute e Usufrua Rafting Feiras Temáticas Desportos Folclore Experiências e Atividades S?o também diversas as atividades que convidam a uma participa??o ativa, bem como experiências tradicionais que merecem ser vividas na primeira pessoa devolvendo-nos ao imaginário ancestral autoctone. Disfrute e usufrua, ao seu gosto e prazer, para mais tarde contar aos amigos, recordar e repetir. Eis ent?o, aqui, algumas indica??es e sugest?es para essas experiências e atividades: Viajens Fauna Amendoeiras em Flor Tradi??es Aventura e Lazer ● “Tourings” Personalizados e/ou “Tourings” Culturais e Paisagisticos (exemplos): ● “Touring” pelas Aldeias do Parque Natural de Montesinho; ● “Touring” Transfronteiri?o: Parque Natural de Montesinho e Parque Natural do Lago da Sanábria; ● “Touring” Transfronteiri?o: Parque Natural do Douro Internacional e Parque Natural das Arribes del Duero; ● “Touring” pelo Parque Arqueológico do Vale do C?a; ● Outros (mediante o interesse e objetivos de cada cliente); ● Passeios Veiculo TT; ● Passeios de Bal?o de Ar Quente; ● Cruzeiros Ambientais nas Arribas do Douro; ● Canoagem e/ou Canorafting; ● Passeios de “Burro” Mirandês; ● BirdWatching; ● BTT; ● Pedestrianismo; ● KartCross (TT); ● Karting (Pista); ● Paramotor; ● Manobras com Cordas; ● Tiros com Zarabatana, Arco, Paint Ball, etc...; ● Team Building; ● Outros ... Feiras Medievais Espectáculos Desportos Radicais BTT Cultura e Tradi??o ● “Tourings” Personalizados; Oficinas de Produtos e Cultura Regional: ● Fazer P?o Transmontano; ● Fazer uma Máscara; ● Fazer Enchidos; ● Fazer Doces e Compotas Regionais; ● Passar o dia com um Pastor; ● Dan?as de Pauliteiros; ● Caretos e Mascarados; ● Anima??o Cultural e étnográfica; ● Visitas Guiadas; ● Visitas ao Património (Guia Especializado); ● Visitas Acompanhadas (ao Património e outros …); ● Gastronomia Tradicional e de Requinte; ● Experiencias Gastronómicas; ● Outros... Or?amentos e Condi??es ● Os or?amentos para cada uma destas Experiências / Atividades, ser?o mediante consulta prévia e est?o sujeitas à disponibilidade dos nossos Parceiros. ● Todas estas Experiências / Atividades ter?o que ter marca??o prévia, com o mínimo de 7 dias para a maioria delas, pois algumas delas ter?o de ser marcadas com o mínimo de 15 dias de antecedência. ● O mínimo de participantes, depende de cada Experiência / Atividade, sendo que todas elas podem ser reservadas em exclusividade, isto é, o cliente pode pagar o valor estipulado como sendo o mínimo para que possa usufruir da Experiência / Atividade, tornando-a assim exclusiva, ou seja, que n?o dependa de N.o mínimo de participantes; Solicite mais informa??es através dos nossos contactos. Pub O QUE VER Pub Bem vindos a Bragan?a! Visitar Bragan?a é fazer uma viagem desde a antiguidade e memórias históricas até à modernidade contemporanea num equilíbrio perfeito entre a natureza e a qualidade de vida. Aproveitem ao máximo a vossa estadia. Revivam a história no castelo medieval, as tradi??es nos Museus, as memórias nos monumentos e edifícios emblemáticos. Descubram paisagens deslumbrantes, restaurantes inesqueciveis, comprem no comércio tradicional. Visitem também aldeias remotas onde subsiste a mais genuína tradi??o comunitária como Guadramil e Rio de Onor, no Parque Natural de Montesinho. Bragan?a é servida por rede nacional e internacional de autocarros, disp?e de aeródromo e de parques para autocaravanas e parques de campismo. Quer venham de Espanha ou de qualquer outra localidade de Portugal, a A4, o IC5 e o IP2 s?o as principais vias de acesso para chegar a Bragan?a. Bragan?a – a tradi??o e a arte de bem receber! Quem daqui parte, quer sempre voltar! Entretanto, leve recorda??es para o caminho. Já sabe, estamos aqui todos os dias do ano! Edifícios de Interesse Edifício do Principal (No largo do Principal) Relativamente típico com quatro arcos redondos intercalados de grossos varandis de balaústre. Foi mandado construir pelo Duque de Bragan?a em 1594. Esteve aqui instalada a Cadeia Civil e também Militar. Já albergou a sede da Regi?o de Turismo do Nordeste Transmontano. Atualmente acolhe a sede da Liga dos Combatentes. Pa?o Episcopal Edifício adquirido pela Diocese de Bragan?a - Miranda e transformado em residência dos prelados. Chegou a acolher a Assembleia Brigantina e foi sede do ?Clube Regenerador? até 1905. Palacete dos Calaínhos Casa nobre setecentista, com pedra de armas sobre a portada central, na Pra?a da Sé. Palacete dos Sá Vargas Solar brasonado do século XVII. Albergou a delega??o local do Banco de Portugal. Atualmente acolhe o Centro de Arte Contemporanea Gra?a Morais, na Rua Abílio Be?a. Biblioteca Funda??o ?Os Nossos Livros? Antigo Solar dos Teixeiras. Casa brasonada construída no século XVII. Ostenta o Bras?o dos Teixeiras no cunhal. O acervo bibliográfico da Funda??o “Os Nossos Livros”, proporciona ao leitor informa??es acerca do passado recente da História de Portugal. A Biblioteca encontra-se informatizada e tem como principais áreas: Direito, Economia, Finan?as, Política, História, Raridades Bibliográficas, Núcleo Bibliográfico de cariz erudito (Livros dos Séculos XVI, XVII e XVIII) e Literatura Camoniana. Solar dos Pimentéis ou 'Casa do Arco' Magnífico solar brasonado da arquitectura civil seiscentista. Seminário de S. José Situado num local sobranceiro ao arruamento que atravessa a Cidade a Sul, e numa grande propriedade localizada no seu interior, é um edifício imponente, de grande dimens?o. Com três pisos de volumetria e de tipologia de ocupa??o isolada, tem na fachada principal os cunhais em pedra encimados por pilastras nos extremos, a enquadrar o corpo central. A fachada é recortada ao cimo e tem ao nível do primeiro piso uma pala a destacar a entrada para o interior. Diante da fachada principal existe um amplo espa?o ajardinado. Museus Museu Abade Ba?al Rua Abílio Be?a, 27 5300-011 Bragan?a Horário de Funcionamento: Ter?a-feira a Sexta-feira: 10h00 - 17h00 Sábado e Domingo: 10h00 - 18h00 Encerra à Segunda-feira. Museu Militar Cidadela - Castelo (Torre de Menagem) Horário de Funcionamento: Ter?a a Domingo: 09h00 - 12h00 /14h00 - 17h00 | Entrada gratuita ao Domingo das 09h00 às 12h00 | Encerra à Segunda-feira e Feriados. Museu Ibérico da Máscara e do Traje Rua D. Fernando 'O Bravo', N.o 24/26 5300-025 Bragan?a Horário de Funcionamento: Ter?a-feira a domingo Manh?: 10h00 - 12h30 Tarde: 14h00 - 18h00 Encerra à Segunda-feira. Encerra nos dias 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio, 22 de Agosto, 25 de Dezembro. Centro de Ciência Viva Casa da Seda Rua dos Batoques N.o 25 5300-091 Bragan?a Horário de Funcionamento: Ter?a a Sexta - 10h00-18h00 Sábados, Domingos e Feriados - 11h00-19h00 Encerrado à Segunda-feira (última admiss?o meia hora antes do encerramento) O Centro encerra ao público nos dias 1 de Janeiro, 24, 25 e 31 de Dezembro. Museu Etnográfico Dr. Belarmino Afonso Rua Doutor Herculano da Concei??o 5300-032 Bragan?a Horário de funcionamento: Segunda a Sexta-feira: 09h00-12h30 | 14h00-17h30 Núcleo Museológico da CP Na antiga Esta??o de Caminho de Ferro, actual esta??o rodoviária pode-se visitar o Núcleo Museológico da CP com algumas locomotivas primitivas da linha do Tua e outros objectos relativos à actividade ferroviária. Centro de Arte Contemporanea Gra?a Morais Rua Abílio Be?a, 105 5300 - 011 Bragan?a Horário de funcionamento: Ter?a-feira a domingo Manh?s: 10h00 - 12h30 Tardes: 14h00 - 18h30 Encerra à Segunda-feira Anualmente encerra nos seguintes dias: 1 de Janeiro, 1 de Maio, Domingo de Páscoa, 22 de Agosto e 25 de Dezembro. Igrejas e Monumentos Castelo Medieval de Bragan?a O conjunto monumental Castelo-Cidadela fica sobranceiro à cidade e que domina completamente. Trata-se de um núcleo murado e acastelado, de arte guerreira medieval, edificado no séc. XII no lugar de Benqueren?a, propriedade dos Frades Beneditinos do poderoso Mosteiro de Castro de Avel?s. Ali, pode-se admirar a Torre de Menagem, a Torre da Princesa, a Domus Municipalis, a Igreja de Santa Maria e o Pelourinho. Domus Municipalis Exemplar único na Península Ibérica da arquitectura Romanica civil. Foi construído no séc. XII para servir de cisterna, sendo posteriormente adaptado a Pa?os do Concelho. Distingue-se pela sucess?o de aberturas e pela sua diversidade decorativa. Igreja da Misericórdia Construída no séc. XIV e dedicada ao Espírito Santo, foi reconstruída e ampliada em 1539 para nela se estabelecer a Santa Casa da Misericórdia. O Altar-Mor é um dos mais belos exemplares do maneirismo seiscentista. Na capela lateral, de finais do séc. XVIII encontra-se a imagem do Divino Senhor dos Passos, vestindo uma riquíssima túnica de veludo bordada a ouro. é uma das mais belas imagens de Portugal. Igreja da Sé (Antiga Sé Catedral) e Cruzeiro Barroco Antigo convento dos Jesuítas data do séc. XVI. A sua funda??o deve-se ao Duque D. Teodósio e à Camara. Durante algum tempo foi ocupado pelos padres Jesuítas que ali instalaram o seu colégio. Após a sua expuls?o, reverteu à coroa. Mais tarde é doado à mitra de Miranda, pouco depois transferida para Bragan?a. Possui portal renascentista com influências barrocas. Na pra?a frontal (Pra?a da Sé), ergue-se um cruzeiro de 1689 em estilo barroco. Igreja de S. Bento Dos finais do séc. XVI, pertenceu ao mosteiro de S. Bento, ostenta um simples front?o barroco. No exterior está esculpida a pedra de armas da sua principal fundadora, D. Maria Teixeira. O tecto de madeira pintada está decorado com numerosas cenas bíblicas, de estilo renascentista. O retábulo do Altar-Mor, é um típico exemplar da talha sumptuosa do séc. XVIII. Igreja de S. Vicente Templo de raiz romanica do séc. XIII, reconstruído no séc. XVII, possui portal renascentista. O Altar-Mor é de estilo barroco e particularmente rico em obra de talha dourada. No lado lateral, foi colocado um painel de azulejos apologéticos da bravura nacional, representando o General Sepúlveda que do patamar lateral deste templo lan?ou em 1808 a sua proclama??o contra a ocupa??o napoleónica, exortando o povo à rebeli?o. Segundo a tradi??o, ter-se-á realizado nesta igreja o casamento secreto de D. Inês de Castro e D. Pedro. Igreja de Santa Clara A igreja é tudo quanto resta do antigo convento mandado construir no séc. XVI. Possui pórtico lateral renascentista com sinais barrocos. Neste templo encontra-se a imagem de Nossa Senhora das Gra?as, padroeira da cidade, que dá lugar às grandiosas festas em sua honra no mês de Agosto. Igreja de Santa Maria Templo de origem romanica, adquire tra?a barroca com o restauro do séc. XVIII. O portal principal é ladeado por duas colunas salomónicas decoradas com folhas de vides e cachos. No interior pode-se apreciar uma magnífica pintura do séc. XVIII. O Pelourinho Monumento ?sui géneris?, conhecido pelo nome de ?Porca da Vila?, tem uma coluna cilíndrica encimada por um capitel romanico e apoiada numa figura zoomórfica (berr?o), datada da Pré-História. Torre de Menagem Das mais belas do país, é o melhor exemplar gótico em Trás-os-Montes. Com cerca de 34m de altura e 17 de largura, destaca-se pelo seu coroamento de cantos rematados em círculo. Apresenta na fachada principal a pedra de armas da Casa de Avis. Atualmente alberga o Museu Militar. Igreja e Convento de S. Francisco / Arquivo Distrital Templo conventual de grande envergadura de origem romanica, reedificado no séc. XVII. Segundo a tradi??o, a primitiva Igreja, foi edificada após a passagem de S. Francisco de Assis na sua peregrina??o a Santiago de Compostela. A rainha Santa Isabel concedeu-lhe uma valiosa prote??o por ter sido o primeiro convento que visitou ao entrar em Portugal, vinda de Arag?o ao encontro de D. Dinis. A capela de Nossa Senhora da Concei??o está profusamente decorada com talha dourada. O Convento já serviu de asilo. Atualmente alberga o Arquivo Distrital de Bragan?a, entidade responsável pela salvaguarda, valoriza??o e divulga??o do património documental do distrito. Basílica do Santo Cristo de Outeiro A Basílica do Santo Cristo Outeiro é um monumento único na regi?o Trás-os-Montes. Foi construída no século XVII e declarada monumento nacional desde 1927. Distingue-se pela simetria e equilíbrio de propor??es. A fachada principal é rasgada por um magnífico portal geminado, encimado por uma grande rosácea e flanqueada por duas torres sineiras com remate piramidal. No interior, de gosto barroco, sobressaem os altares de talha policromada e dourada. “Basílica” é o título concedido pela Santa Sé a algumas igrejas pela sua antiguidade ou por serem centros de peregrina??es. A celebra??o solene da promulga??o do título ocorrerá a 8 de Novembro, durante as celebra??es dos 500 anos do segundo foral de Outeiro, concedido pelo rei D. Manuel I, em 11 de Novembro de 1514. Mosteiro de Castro de Avel?s Construído no séc. XII pelos monges beneditinos, foi seguramente o núcleo de vida monacal mais proeminente do Nordeste Transmontano até ao séc. XVI. A igreja integrada no romanico cisterciense, encontra-se hoje reduzida à sua cabeceira constituída pela abside e dois absidíolos. é um exemplar da ?arquitectura do barro?, uma excep??o à arquitectura de granito do Norte, talvez por influência galaico-leonesa. O Mosteiro recebeu como hóspede em 1387 o Duque de Lencastre aquando do seu encontro com D. Jo?o I no Planalto de Babe, onde foi assinado o histórico Tratado de Babe. Para além de toda a sua importancia religiosa, manteve durante a Idade Média fortes la?os com o Reino de Le?o, tendo igualmente funcionado como hospedaria para os peregrinos da rota de Santiago de Compostela. Teve importancia acrescida pelo papel que desempenhou no povoamento da regi?o. Sé Catedral da Diocese Bragan?a-Miranda Foi decidido em 1950 construir uma catedral de raiz em Bragan?a tendo sido inaugurada em outubro de 2001 e consagrada a Nossa Senhora Rainha. Foi a primeira construída em Portugal nos últimos 400 anos. Trata-se de um espa?o de 10 mil metros quadrados, projectado pelo arquitecto Ba?al Rosa com distribui??o dos lugares em anfiteatro. A inclina??o do ch?o, à semelhan?a do que acontece nas salas de cinema, e o desenho pentagonal da zona envolvente marcam a diferen?a da nova igreja, apresentada como uma catedral para o novo milénio. Ao contrário de outras catedrais construídas até ao século XVI, a Sé de Bragan?a apresenta-se também como uma obra regional, especialmente concebida para o nordeste transmontano. A porta principal, geminada, remete para a diocese de Bragan?a/Miranda, enquanto as duas entradas laterais s?o as portas de Moncorvo e Mirandela. Os materiais de constru??o - pedra, granito e xisto - vieram de toda a regi?o. As árvores que rodeiam a catedral, como a oliveira, o castanheiro e a cerejeira, foram seleccionadas na flora local. O interior revela a mesma preocupa??o, através de pormenores como o sacrário, que tem a forma geográfica do distrito, ou os tra?os de express?o nordestina do Cristo desenhado no painel ceramico de Mário Silva, por detrás do altar-mor. Eventos, Tradi??es, Feiras, Festas e Romarias Feira das Cantarinhas Concentra??o Motocruzeiro Festa da História Festa N. Sr.a das Gra?as Bragan?a Feira Semanal: Bragan?a: A feira realiza-se na envolvente do Mercado Municipal de Bragan?a, todas as sextas-feiras de cada mês. Feira Anual: Feira das Cantarinhas: Realiza-se no dia 3 de Maio. Festas e Romarias mais relevantes: ● Festa de Nossa Senhora das Gra?as, dia 22 de Agosto; ● Festa da História integrada nas Festas da Cidade, em Agosto; ● Romaria de Nossa Senhora da Ribeira, em Quintanilha, no último domingo de Maio; ● Festa de S. Bartolomeu, em Samil e em Rabal - Bragan?a, dia 24 de Agosto; ● Romaria de Nossa Senhora da Serra, Rebord?os, dia 8 de Setembro; ● Festa do Divino Senhor da Agonia dos Ch?os, na freguesia de Salsas, a 14 de Setembro; ● Festa de Santa Rita, em Terroso - Espinhosela, em Setembro; ● Festa de Nossa Senhora do Aviso, em Serapicos, em Junho; Outras Festas e Eventos: Bragan?a e a regi?o, disponibilizam um cartaz de eventos bastante diversificado durante todo o ano; ● Mascararte: Bienal da Máscara; ● Em algumas aldeias dos concelhos do distrito, tradicionalmente s?o celebrados os rituais da ''Festa dos Rapazes'', da ''Festa de Natal'' e da ''Festa a Santo Estev?o''; ● A Festa dos Rapazes, é costume realizar-se entre 25 de Dezembro e o dia de Reis. Há eventos nas aldeias da Lombada, nomeadamente em Babe, Caravela e Rio de Onor, bem como nas aldeias de Parada e Salsas, no concelho de Bragan?a, e em Ousilh?o, no concelho de Vinhais, e nas aldeias de Tó, Vale de Porco, Bru?ó e Bemposta, no concelho de Mogadouro; ● Concentra??o motard do Motocruzeiro, em Agosto. ● Festa de S?o Gon?alo em Outeiro, no dia 10 de Janeiro ou no sábado mais próximo ao dia consagrado ao Santo, festa das Roscas do Charolo; ● Festa de Nossa Senhora da Hera, em Cova de Lua - Espinhosela, em Agosto; ● Festa de Santa Ana, em Meixedo, em Junho; ● Festa de S. Roque em Parada, a 16 de Agosto; Feira do Folar Izeda Festival da Lombada Quintanilha Rock Eventos Onde comer, onde dormir, dentro e fora de Bragan?a Pub Para partilhar o que de melhor se faz nesta regi?o!... De facto, uma visita a Bragan?a fica incompleta sem se provar da sua riqueza gastronómica. A escolha é do freguês! Pela nossa parte, apresentamos sugest?es mais ou menos adaptadas ao apetite, gosto ou preferência de cada um e que se podem encontrar em qualquer restaurante, casa de pasto ou petisqueira onde poderá degustar menús da deliciosa cozinha transmontana, desde os mais típicos aos mais modernizados, uns mais conhecidos do que outros, mas cada qual com as suas especialidades… Quer na cidade, quer no espa?o rural, Bragan?a apresenta uma oferta de restaurantes bastante variada, conseguindo, às vezes baralhar a escolha dos turistas. A cidade de Bragan?a disp?e também de interessantes unidades hoteleiras e de turismo rural, bem como os arredores ou os demais concelhos do distrito, vocacionadas para receber turistas e viajantes. Onde comer, dentro e fora Bragan?a Restaurante D. Luigi Gastronomia Gastronomia Restaurante O Acácio ONDE COMER NA CIDADE Para partilhar o que de melhor se faz nesta regi?o!... De facto, uma visita a Bragan?a fica incompleta sem se provar da sua riqueza gastronómica. A escolha é do freguês, pela nossa parte, apresentamos sugest?es mais ou menos adaptadas ao apetite, gosto ou preferência de cada um e que se podem encontrar em qualquer restaurante ou casa de pasto ou petisqueira onde poderá degustar menús da deliciosa cozinha transmontana, desde os mais típicos aos mais modernizados, uns mais conhecidos do que outros, mas cada qual com as suas especialidades… Os restaurantes de Bragan?a e arredores oferecem comida caseira e tipicamente regional. ● Especialidades culinárias: ● Butelo com casulas; ● Posta à Mirandesa; ● Cabrito assado; ● Todos os pratos de Bacalhau; ● Alheira assada; ● Carne assada na brasa; ● Carne de Porco; ● Vitela assada; ● Galo no pote; ● Há também outros estabelecimentos de comidas rápidas e também com servi?o de take away. ONDE COMER NOS ARREDORES, FORA DA CIDADE Quer na cidade, quer no espa?o rural, Bragan?a apresenta uma oferta de restaurantes bastante variada, conseguindo, às vezes baralhar a escolha dos turistas. Depois de apresentar as sugest?es dentro da cidade, sugerimos, agora, outros locais para poder apreciar a nossa gastronomia, no intuito de fazer coincidir a escolha com a preferência, gosto ou apetite de cada um. Venha conhecer restaurantes, adegas, casas rurais ou de campo onde poderá degustar menús da magnífica cozinha transmontana, cada qual com as suas especialidades… Gastronomia Gastronomia Gastronomia Gastronomia Onde dormir, dentro e fora Bragan?a Visit Bragan?a Alojamento Visit Bragan?a Alojamento ONDE DORMIR NA CIDADE A cidade de Bragan?a disp?e de interessantes unidades hoteleiras e de turismo rural. Seja individualmente, em família ou em grupo, disfrute e partilhe do que de melhor temos nesta regi?o. ONDE DORMIR NOS ARREDORES, FORA DA CIDADE Nos arredores da cidade existem também interessantes unidades hoteleiras e de turismo rural vocacionada para receber vocacionadas para receber turistas e viajantes. Alojamento Visit Bragan?a Alojamento Visit Bragan?a Contactos úteis Abaixo listam-se alguns contactos de institui??es da cidade de Bragan?a. Camara Municipal de Bragan?a Morada: Forte S. Jo?o de Deus Localidade: 5300-263 Bragan?a Telefone: +351 273 304 200 Associa??o Humanitária dos B.V. de Bragan?a Morada: R Doutor Manuel Bento, 2 Localidade: 5300-167 Bragan?a Telefone: +351 273 300 210 Centro de Hospitalar do Nordeste Morada: Av. Abade Ba?al Localidade: 5301-852 Bragan?a Telefone: +351 273 310 800 Delega??o de Turismo de Natureza Morada: Rua Abilio Beca, 92 Localidade: 5300-011 Bragan?a Telefone: +351 273 331 078 PSP - Polícia Seguran?a Pública Morada: Rua Dr. Manuel Bento Localidade: 5301-868 Bragan?a Telefone: +351 273 303 400 GNR - Comando Territorial de Bragan?a Morada: Avenida General Humberto Delgado Localidade: 5300-163 Bragan?a Telefone: +351 273 300 570 CTT - Correios de Portugal Morada: Largo dos Correios, Edif. CTT Localidade: 5300-999 Bragan?a Telefone: 273 310 940 INATEL Morada: Mercado Municipal de Bragan?a, Forte de S. Jo?o Localidade: 5300-263 Bragan?a Telefone: +351 273 001 100 ACISB - Associa??o Comercial, Industrial e Servi?os de Bragan?a Morada: Rua Abílio Be?a, N.o92 - 1.o Andar Locidade: 5300-011 Bragan?a Telefone: +351 273 331 947 NERBA - Assiocia??o Empresarial do Distrito de Bragan?a Morada: Avenida das Cantarias - Saída Sul Localidade: 5300-107 Bragan?a Telefone: +351 273 304 630 IEFP - Centro de Emprego de Bragan?a Morada: Av. Dom Sancho I Localidade: 5300-125 Bragan?a Telefone: +351 273 331 345 Centro Regional de Seguran?a Social Morada: Avenida General Humberto Delgado Localidade: 5300-859 Bragan?a Telefone: +351 273 333 326 Instituto Português do Desporto e Juventude Morada: Rua Oróbio de Castro Localidade: 5300-220 Bragan?a Telefone: +351 273 310 600 IPB - Instituto Politécnico de Bragan?a Morada: Campus de Santa Apolónia Localidade: 5300-253 Bragan?a Telefone: +351 273 303 200 IMTT - DRMT NORTE - Delega??o Distrital de Via??o de Bragan?a Morada: Av. Sá Carneiro, 159 Localidade: 5300-853 Bragan?a Telefone: +351 273 310 100 ACT - Autoridade para as Condi??es de Trabalho Morada: Avenida Cidade de Zamora, 52 Localidade: 5300-111 Bragan?a Telefone: +351 273 304 860 Pub Contactos Pub Enviar Pub Condi??es de Utiliza??o Termos de Publicidade Online Liga??es Grupo Netico | Um produto Turismo-Xpo CONDI??ES DE UTILIZA??O 1. INFORMA??O GERAL Estas Condi??es Gerais regulam a utiliza??o do sítio web: Turismo-Braganca.com, ao qual se acede mediante o endere?o http://www.turismo-braganca.com. Informa-se ainda que este sítio web foi criado, é mantido e é propriedade de “Netico Unipessoal Lda”. Os utilizadores podem-nos contactar através do(s) seguinte(s) meio(s): E-mail: marketing@turismo-braganca.com. 2. ACEITA??O DAS CONDI??ES DE USO O acesso a este website ou a sua utiliza??o em qualquer forma implica a aceita??o de todas e de cada uma das presentes condi??es gerais de utiliza??o e das que, unilateralmente, em qualquer momento, possa estabelecer turismo-braganca.com. Em consequência, será responsabilidade de todo o visitante ou utilizador a leitura atenta das condi??es gerais de utiliza??o vigentes em cada uma das ocasi?es em que aceda a este website. A utiliza??o de determinados servi?os implicará de igual forma a aceita??o, sem reserva alguma, das normas particulares ou instru??es que turismo-braganca.com possa estabelecer em qualquer momento com carácter específico, substitutivo ou complementar às presentes condi??es gerais. 3. CONDI??ES DE ACESSO No geral, o acesso à informa??o e aos servi?os facilitados por turismo-braganca.com será livre e gratuita, e n?o será exigido aos utilizadores que facultem dados pessoais, nem a utiliza??o de chaves ou senhas, nem a prévia subscri??o, excepto para aceder a determinados conteúdos ou servi?os. Quando para o acesso a determinados conteúdos ou para a utiliza??o de algum servi?o seja necessário facultar dados de carácter pessoal, os utilizadores garantem a sua veracidade, exactid?o, autenticidade e vigência. Turismo-braganca.com dará aos referidos dados o tratamento automatizado que corresponda em fun??o da sua natureza ou finalidade, nas condi??es e termos indicados na sec??o de política de protec??o de dados pessoais. Nestes casos, sendo necessária a utiliza??o de chaves de acesso (nome de utilizador e senha), os utilizadores devem ter em conta o seguinte: O Nome e a Senha escolhida pelo utilizador n?o poderá ser contrária à moral nem aos bons costumes geralmente aceites, nem poderá lesar os direitos à honra e da própria imagem de terceiros, assim como, n?o pode infringir de modo algum os direitos de propriedade industrial ou intelectual de terceiros. As Senhas de acesso s?o para uso pessoal e exclusivo do utilizador titular das mesmas, e sua guarda, confidencialidade e correcta utiliza??o s?o de sua exclusiva responsabilidade. Turismo-braganca.com n?o será responsável por nenhum prejuízo em que o utilizador ou terceiros possam incorrer como consequência de que outras pessoas utilizem a sua senha, com ou sem consentimento ou conhecimento do utilizador. Turismo-braganca.com compromete-se a cumprir com a obriga??o de segredo em rela??o à senha utilizada pelo utilizador. 4. CONDI??ES DE UTILIZA??O A utiliza??o do website de turismo-braganca.com deverá obedecer ao conteúdo destas Condi??es Gerais, em quaisquer disposi??es legais aplicáveis e às exigências da moral e dos bons costumes geralmente aceites, assim como da ordem pública. Salvo prévia e expressa autoriza??o de turismo-braganca.com, os utilizadores unicamente podem utilizar os seus conteúdos e servi?os para uso próprio e pessoal e, portanto, absterem-se de realizar qualquer ato que, direta o indiretamente, presuponha uma explora??o comercial dos mesmos. Em todo o caso, utilizar?o os conteúdos e servi?os facultados por turismo-braganca.com em conformidade com a legalidade e legisla??o vigente e assumir?o as responsabilidades que lhes correspondam pelos comportamentos ou actividades que, em qualquer modo, possam resultar ilícitas ou lesivas para os direitos de terceiros ou que possam prejudicar, impedir ou limitar a utiliza??o deste website a outros utilizadores. Em particular e a título meramente indicativo e n?o limitativo, os utilizadores comprometem-se a n?o recolher dados ou conteúdos com fins publicitários, assim como a n?o transmitir ou difundir através de turismo-braganca.com mensagens, imagens, fotografias, software, dados ou conteúdos que: de qualquer forma atentem contra direitos fundamentais reconhecidos pelas leis vigentes. Induzam, incitem ou promovam actos de delito, deploratórias, difamatórias, infamantes, violentas, discriminatórias por raz?o de sexo, ra?a, religi?o ou ideologia, ou no geral, sejam contrarias à lei, à moral ou à ordem pública. sejam falsos, ambíguos, incorrectos, exagerados, obscenos ou extemporaneos. que se encontrem protegidos por quaisquer direitos de propriedade intelectual ou industrial pertencentes a terceiros, salvo prévia e suficiente autoriza??o de seu legítimo titular, lesionem ou possam lesionar o direito à honra, à intimidade pessoal, à própria imagem de terceiras pessoas ou infrinjam a normativa sobre o segredo ou confidencialidade das comunica??es. constituam publicidade ilícita, enganosa ou desleal. contenham vírus, cavalos de Troia, Worms, bombas de tempo ou qualquer outro material ou programa que possa danificar ou alterar o funcionamento de equipamentos ou sistemas informáticos. Os utilizadores respondem dos danos e prejuízos de qualquer classe que turismo-braganca.com possa sofrer, directa ou indirectamente, como consequência do incumprimento da normativa vigente ou de qualquer das obriga??es derivadas das condi??es gerais de utiliza??o deste website. Turismo-braganca.com reserva-se o direito de negar, unilateralmente e em qualquer momento, o acesso a este sítio web àqueles utilizadores que n?o cumpram as presentes Condi??es Gerais de Utiliza??o, e sem necessidade de aviso prévio ou justifica??o. 5. PROPRIEDADE INDUSTRIAL E INTELECTUAL 5.1 Propriedade Industrial A denomina??o turismo-braganca.com, assim como outras referências distintivas (gráficos ou denomina??es) que apare?am neste sítio web s?o propriedade de “Netico Unipessoal Lda”, doravante “Netico” que possui os direitos exclusivos de utilizá-los. Pelo seguinte, fica proibida a sua utiliza??o por parte de terceiros que care?am da correspondente autoriza??o. A eventual presen?a neste sitio de obras de titularidade alheia à situa??o anterior, efectua-se sem finalidade comercial e/ou com a autoriza??o dos seus legítimos proprietários, sempre com o devido respeito pelos seus direitos. 5.2 Nomes do domínio No mesmo sentido do que foi referido no ponto anterior, o nome do domínio www.turismo-braganca.com e todos aqueles que sirvam para aceder de forma directa ao presente sitio s?o de titularidade exclusiva de “Netico”, ou a sua utiliza??o tenha sido cedida pelo seu legítimo titular. A utiliza??o indevida dos mesmos em aproveitamento económico sup?em uma infrac??o dos direitos conferidos pelo seu registo e será perseguido pelos meios previstos na Lei. 5.3 Direitos de Autor Apesar de terem sido feitos todos os esfor?os no sentido de identificar os detentores dos direitos de autor das obras constantes do site em que tal informa??o n?o era conhecida, quem se identificar como tal e caso se oponha à sua continua??o on-line, solicita-se que contacte a através do seguinte e-mail: marketing@turismo-braganca.com. Em determinados casos, poder?o existir no site turismo-braganca.com materiais cedidos por terceiros, subordinados aos respectivos direitos de autor. Sempre que os utilizadores pretendam fazer uso desses materiais, devem previamente obter dos seus proprietários a respectiva autoriza??o, nos devidos termos legais. Ainda assim, deverá sempre ser feita referência de que tal material provêm do site turismo-braganca.com. 5.4 Uso pessoal O utilizador fica expressamente autorizado por turismo-braganca.com a visualizar, imprimir, copiar o armazenar no seu disco rígido ou em outro suporte físico, as cria??es intelectuais protegidas e qualquer outro conteúdo, excepto os programas informáticos, sempre que eles se efectuem para fins pessoais e privados do utilizador, sem fins comerciais ou de distribui??o, e sem modificar, alterar ou descompilar os conteúdos atrás referidos. Esta possibilidade de utiliza??o pessoal é reconhecida sempre e quando se respeitem intactas as advertências aos direitos de autor e da propriedade industrial/intelectual aqui realizadas e n?o suponha a concess?o de licen?a ao utilizador. Qualquer outra utiliza??o das cria??es intelectuais ou conteúdos deste sitio requer a autoriza??o expressa de turismo-braganca.com. 5.5 Reserva de ac??es A utiliza??o dos conteúdos ou servi?os de turismo-braganca.com n?o implica nem tal significa a concess?o de licen?a ou autoriza??o de utiliza??o de nenhum tipo sobre os direitos de propriedade intelectual ou industrial ou sobre qualquer outro direito. O utilizador deste sitio web compromete-se a respeitar os direitos enunciados e a evitar qualquer actua??o que possa prejudicá-los. Turismo-braganca.com reserva-se o exercício dos meios ou ac??es legais que sejam necessários na defesa dos seus legítimos direitos de propriedade intelectual e industrial. 6. LIGA??ES As liga??es a Web Sites de terceiros incluídas neste Site s?o fornecidas apenas para sua conveniência. Se utilizar estas liga??es, sairá do Site. O portal turismo-braganca.com n?o reviu todos os sites de terceiros e n?o controla nem é responsável por nenhum deles nem pelo respectivo conteúdo. Nestes termos, o turismo-braganca.com n?o se responsabiliza pelos referidos sites, nem por qualquer informa??o, software ou outros produtos ou materiais que neles se encontrem, nem por quaisquer resultados obtidos da sua utiliza??o. Se decidir aceder a qualquer um desses sites de terceiros ligados a este Site, estará a fazê-lo totalmente por sua conta e risco. 6.1 Liga??es ao nosso site O portal turismo-braganca.com permite que se efectuem links para a sua página, solicitando unicamente que tal nos seja comunicado. Está expressamente proibida a utiliza??o do site para fins ilegais ou quaisquer outros fins que possam ser considerados indignos da imagem do turismo-braganca.com. Um site com uma liga??o ao website do turismo-braganca.com: Poderá estabelecer a liga??o, mas n?o reproduzir o conteúdo do turismo-braganca.com; N?o deverá criar um ambiente de ′′browser′′ ou de ′′border′′ em torno do conteúdo do turismo-braganca.com; N?o deverá tornar implícito que o turismo-braganca.com apoia o(s) respectivo(s) produto(s); N?o deverá induzir em erro sobre a sua rela??o com o turismo-braganca.com; N?o deverá apresentar informa??es falsas sobre produtos e servi?os do turismo-braganca.com; N?o deverá utilizar o logótipo do turismo-braganca.com sem a autoriza??o desta; N?o deverá apresentar conteúdo que possa ser considerado de mau gosto, ofensivo ou controverso, e deverá apresentar apenas conteúdo apropriado a todos os grupos de idades. 7. FóRUMS, CHATS E OUTROS MEIOS DE DIVULGA??O O portal www.turismo-braganca.com reserva-se o direito, embora a tal n?o se encontre obrigado, de monitorizar ou alterar quaisquer áreas do Site onde os utilizadores transmitam ou afixem Comunica??es ou somente comuniquem com outros utilizadores. No entanto, o turismo-braganca.com n?o tem qualquer responsabilidade quanto ao conteúdo das referidas Comunica??es, quer digam ou n?o respeito a normas legais ou regulamentares relativas a direitos de autor, difama??o, privacidade, obscenidade ou outras. O portal turismo-braganca.com reserva-se o direito de retirar quaisquer mensagens que incluam qualquer material considerado abusivo, difamatório, obsceno ou inaceitável pelo turismo-braganca.com. 9. MODIFICA??O E FIM DE SERVI?OS Embora a dura??o deste sítio seja indeterminada, turismo-braganca.com reserva-se o direito de modificar, suspender ou dar por terminada a presta??o dos seus servi?os ou conteúdos, na totalidade ou em parte, em qualquer momento, e sem necessidade de pré-aviso aos utilizadores do mesmo. Turismo-braganca.com pode modificar em qualquer momento as condi??es de utiliza??o deste website. X TERMOS DE PUBLICIDADE ONLINE Publicidade On-Line A publicidade online é uma forma de publicidade em formato digital especialmente promovida nos portais e blogues na internet. A mesma refere-se a um patrocinador identificado, que pretende transmitir uma mensagem para informar, persuadir ou relembrar ao seu público alvo dos seus produtos, servi?os, descontos e ao mesmo tempo promover a sua marca tendo por base as seguintes características dentro de um meio: Interactivo: Comunica??o ágil, feedback, call to action (persuas?o e incentivo ao click). Multimédia: Diferentes formatos de leitura, permitimos banners em formato .jpg, gif, flash, imágens ou links. Sempre Presente: O “agora” pontencializa-se, os conteúdos s?o dinamicos. Hipersegmentado: N?o há fronteiras, conteúdos temáticos diversos. Mensurável e quantificável: Relatórios sobre visitantes, Clicks. N?o Invasivo: Requer aceita??o ou click (Permission Marketing). Consequentemente, propomos implementar um Sistema de Publicidade Online Integrado na nossa rede de portais de Turismo-Xpo no horizonte e canais que considere apropriados para a sua campanha de acordo com o Plano de meios: Planifica??o de Meios Horizonte Temporal: Defini??o do tempo de dura??o da campanha, a qual é recomendável que seja anual com mudan?as de publicidade cada 3 meses (por temporadas). Horizonte Geográfico: Apresentamos planos de acordo com as necessidades geográficas do seu Plano de Meios. O segmento pode orientar-se para o público alvo de um destino, uma regi?o, um país ou continente. Canais Web: Propomos aos anunciantes implementa??o de publicidade online na web clássica e na web 2.0. ? Portais ? Blogues ? Redes Sociais ? Newsletters (E-Mail Marketing) Os canais distribuem conteúdos segmentados e orientados por destinos. Os nosso Planos de Publicidade Online est?o dirigidos para todo o tipo de: ? Empresas e negócios; ? Associa??es; ? Clubes desportivos; ? Institui??es públicas ou privadas; que possam estar interessadas em contactar o perfil de navegante dos portais. Exposi??o: O grau de exposi??o da sua campanha de Publicidade Online influencia nas visualiza??es e “Call to Action” da campanha. Oferecemos possibilidades de Alta Exposi??o (Sponsor), Média Exposi??o em Banners Exclusivos ou Baixa Exposi??o em Banners Rotativos nos Portais ou em Páginas Temáticas dentro dos mesmos. Para além disso, poderá determinar a sequência temporal ao selecionar banners fixos (exclusivos) ou rotativos (partilhados com outros) para assim determinar a presen?a e apari??o dos anúncios. Para cada Cliente analizamos pontualmente as suas necessidades de horizonte geográfico e temporal para a sua campanha, além da exposi??o da mesma nos Canais Web que oferecemos, baseados no Plano de Meios. Por exemplo, poderia planificar a Campanha através de um Banner Exclusivo na nossa Rede de Portais de Turismo-Xpo e Newsletter com alta exposi??o de Sponsor por um ano, intercalando 4 campanhas de 3 meses. A Netico se encarregará da planifica??o, gest?o e seguimento das campanhas como o envio mensal de Relatórios. Mais, poderá visualizar as estatisticas em forma online e privada. Benefícios de Publicitar nos Nossos Portais Ampliar a oferta a novos mercados; Aceder a turistas, consumidores, dado que o conteúdo dos nossos portais se encontra segmentado e permanentemente atualizado. X Liga??es ?CP - Comboios de Portugal ? Direc??o-Geral de Saúde ? Douro Azul ? Grupo Netico ? Instituto de Metereologia Nacional ? IPB ? Jornal A Bola ? Jornal Correio da Manh? ? Jornal de Noticias ? Jornal Diário Económico ? Jornal Público ? Ministério da Educa??o ? Portal da Saúde ? Portal do Cidad?o ? Portugal em Fotografia ? Pousadas de Juventude ? Pousadas de Portugal ? Servi?os-xpo ? Semanário Expresso ? Transpor ? Turismo-xpo ? Turismo de Portugal ? ZamoraDigital????? X

turismo-braganca.com Whois

Domain Name: TURISMO-BRAGANCA.COM
Registry Domain ID: 1600282055_DOMAIN_COM-VRSN
Registrar WHOIS Server: whois.publicdomainregistry.com
Registrar URL: www.publicdomainregistry.com
Updated Date: 2015-05-26T19:41:07Z
Creation Date: 2010-06-02T18:30:11Z
Registrar Registration Expiration Date: 2016-06-02T18:30:11Z
Registrar: PDR Ltd. d/b/a PublicDomainRegistry.com
Registrar IANA ID: 303
Domain Status: clientTransferProhibited https://icann.org/epp#clientTransferProhibited
Registry Registrant ID:
Registrant Name: Domain Admin
Registrant Organization: Privacy Protection Service INC d/b/a PrivacyProtect.org
Registrant Street: C/O ID#10760, PO Box 16 Note - Visit PrivacyProtect.org to contact the domain owner/operator Note - Visit PrivacyProtect.org to contact the domain owner/operator
Registrant City: Nobby Beach
Registrant State/Province: Queensland
Registrant Postal Code: QLD 4218
Registrant Country: AU
Registrant Phone: +45.36946676
Registrant Phone Ext:
Registrant Fax:
Registrant Fax Ext:
Registrant Email: contact@privacyprotect.org
Registry Admin ID:
Admin Name: Domain Admin
Admin Organization: Privacy Protection Service INC d/b/a PrivacyProtect.org
Admin Street: C/O ID#10760, PO Box 16 Note - Visit PrivacyProtect.org to contact the domain owner/operator Note - Visit PrivacyProtect.org to contact the domain owner/operator
Admin City: Nobby Beach
Admin State/Province: Queensland
Admin Postal Code: QLD 4218
Admin Country: AU
Admin Phone: +45.36946676
Admin Phone Ext:
Admin Fax:
Admin Fax Ext:
Admin Email: contact@privacyprotect.org
Registry Tech ID:
Tech Name: Domain Admin
Tech Organization: Privacy Protection Service INC d/b/a PrivacyProtect.org
Tech Street: C/O ID#10760, PO Box 16 Note - Visit PrivacyProtect.org to contact the domain owner/operator Note - Visit PrivacyProtect.org to contact the domain owner/operator
Tech City: Nobby Beach
Tech State/Province: Queensland
Tech Postal Code: QLD 4218
Tech Country: AU
Tech Phone: +45.36946676
Tech Phone Ext:
Tech Fax:
Tech Fax Ext:
Tech Email: contact@privacyprotect.org
Name Server: ns1.ptservidor.net
Name Server: ns2.ptservidor.net
DNSSEC:Unsigned
Registrar Abuse Contact Email: abuse-contact@publicdomainregistry.com
Registrar Abuse Contact Phone: +1-2013775952
URL of the ICANN WHOIS Data Problem Reporting System: http://wdprs.internic.net/
>>> Last update of WHOIS database: 2016-05-12T08:56:45Z <<<
For more information on Whois status codes, please visit https://icann.org/epp
Registration Service Provided By: SAMPLING LINE, LDA. PTSERVIDOR
PRIVACYPROTECT.ORG is providing privacy protection services to this domain name to
protect the owner from spam and phishing attacks. PrivacyProtect.org is not
responsible for any of the activities associated with this domain name. If you wish
to report any abuse concerning the usage of this domain name, you may do so at
http://privacyprotect.org/contact. We have a stringent abuse policy and any
complaint will be actioned within a short period of time.
The data in this whois database is provided to you for information purposes
only, that is, to assist you in obtaining information about or related to a
domain name registration record. We make this information available "as is",
and do not guarantee its accuracy. By submitting a whois query, you agree
that you will use this data only for lawful purposes and that, under no
circumstances will you use this data to:
(1) enable high volume, automated, electronic processes that stress or load
this whois database system providing you this information; or
(2) allow, enable, or otherwise support the transmission of mass unsolicited,
commercial advertising or solicitations via direct mail, electronic mail, or
by telephone.
The compilation, repackaging, dissemination or other use of this data is
expressly prohibited without prior written consent from us. The Registrar of
record is PDR Ltd. d/b/a PublicDomainRegistry.com.
We reserve the right to modify these terms at any time.
By submitting this query, you agree to abide by these terms